Colunistas

Alguém aqui é cego ou surdo?

11/06/2019 - 15h:17min
Alvorino Osvaldt - Controle Geral

É uma tristeza vermos a pobreza de nosso povo! Não falo do resto do Brasil, aponto a miséria do nosso irmão Camaquense que passa frio, que come o lixo das ruas, que faz malabarismos nas esquinas em troca de míseras moedas, das crianças desnutridas, doentes e sem alento, dos que batem a nossa porta todos os dias...

O dia a dia dos pobres de nossa cidade é triste, violento e sombrio. Não temos emprego para oferecer aos nossos filhos e esta precariedade faz com que tenhamos dias muito escuros ao nosso redor. “A gente não pode se acostumar à violência, à fome, à miséria, à ganância, à guerra, ao preconceito, ao racismo, à discriminação, à intolerância, à injustiça, ao desamor, à impunidade, à corrupção... A gente não pode se acostumar com coisas que não deveriam ser normais...

A gente não pode ver estas coisas sem arder os olhos, sem horrorizar-se, sem sentir náuseas, pois isso é sinal de que perdemos algo mais do que a consciência: perdemos a alma”! Faz-se necessário que as pessoas de bem abram a sua alma no sentido de se doar mais e fazer com que nossos irmãos que estão passando necessidade recebam ajuda quando batem em nossas portas, pois muitos pedem e nada recebem, por isso acabam roubando. Precisamos tornar melhor suas vidas para que nos sintamos melhor!


Hospital e Prefeitura em parceria

No último sábado recebemos no Controle Geral o SM da Saúde, Luciano Pereira Dias, que nos trouxe boas notícias em relação a parceria firmada com o Hospital Nossa Senhora Aparecida. Desde o dia 4 de junho, os exames de análises clínicas, necessários à UPA, são realizados pelo Hospital.

Luciano também nos informou que o Governo Municipal poderá, no futuro, realizar novas parcerias com outras áreas de prestação de serviço da entidade, pois o relacionamento entre a Fundação e o Governo está ótimo. Deu como exemplo a utilização da lavanderia do hospital e outros setores.

Sobre a Campanha de vacinação contra a gripe, disse que esta agora está estendida a toda a população, pois existem doses de vacina sobrando em razão de não terem sido utilizadas nos grupos de risco, onde o número de pessoas foi menor do que o previsto. O público alvo deixou de comparecer para vacinar-se fato que é indesejável, pois poderão ser atingidos pela gripe.

Com respeito aos medicamentos da farmácia municipal, o Secretário informou que alguns itens da relação estão momentaneamente em falta por razões diversas e que a relação publicada de tempos em tempos, pode ser consultada no site da Prefeitura.


Prá você pensar:

“Cego é aquele que não vê seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria. 
Surdo é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um amigo, ou o apelo de um irmão”. (Mario Quintana)

deixe seu comentário