Colunistas

Mãe é Mãe

13/05/2018 - 10h:06min
Gabriel Pigatto - Empreendedorismo

Têm mãe empreendedora, têm mãe caseira, têm mãe professora, tem mãe advogada, administradora, psicóloga, vendedora, pintora, motorista, empresária, funcionária, têm mãe dentista, têm mãe prefeita, agricultora, escritora, e hoje tem até mãe pedreira e presidenta.

            A profissão da mãe pode mudar, mas mãe é mãe.

            Como diria Falcão em uma letra de suas músicas mais incríveis, “oh minha mãe, minha mãe....oh minha mãe, minha mãe.... oh minha mãe minha mãe.... é a mulher do meu pai!”

            Nem sempre mãe é a mulher do meu pai!

            E mãe é um empreendimento, o exímio do empreendedorismo!!

            Têm mãe que faz bolo, que faz, comidinha, que faz o prato preferido, que prepara a tetê, o mamá, têm mãe que faz papinha! Tem mãe que mesmo quando o filho vai para faculdade faz a merenda, têm que se realiza ao ser mãe, tem mãe que quer ser mãe e tem mãe que não sabe a mãe que é!

            Têm mãe que é pai e mãe, tem mãe que é só mãe, tem mãe que nem sabe o que é um pai, tem mãe que não vivi sem o pai e tem até pai que é mãe! Têm tia que é mãe, têm avó que é mãe, têm avó que é bimãe, têm filha que é mãe, tem patrão que é uma mãe, têm professora que é uma mãe, tem até amigo que é uma mãe.

            Têm mãe que não é de fazer bolo, nem merendeira, têm mãe que acha que ser mãe é um negócio, com livro caixa, hora de respirar e hora do intervalo e hora de soltar e até esquece que ser mãe é só ser mãe!

            Têm mãe que parece o capitão américa, coloca seu escudo na frente e segura tudo, mas na hora do bixo pegar o filho não sabe nem pegar a espada.

            Têm mãe que ensina, educa, acaricia, ama e faz o que há de mais sagrado na vida, ser mãe.

            Até Jesus teve mãe, e é a mãe de todos! Amém!

            Ser mãe é um empreendimento, que criar um filho é necessário muito entendimento de gestão. Primeiro vêm o parto, depois vêm os primeiros choros, os primeiros, sorrisos, as primeiras cólicas e todas as trocas de fraldas, e sem falar no vocabulário mãeístico que só elas entendem.

            Ser mãe é um presente, e talvez tão bom quanto ser pai já que falo por mim mesmo.

            Mas admiro muito as mães, porque tem pessoas com dom de ser  mãe e nem sempre são mães de sangue, mas mães de fato. Não importa o tipo de mãe ou a sua profissão, o que importa é este sentimento chamado mãe, que protege, que ensina, que educa, que faz carinho e briga ao mesmo tempo, mas que sente num sexto sentido a verdadeira empatia. A mais pura de todas, de entender as necessidades do filho só por sentir.

            Têm mãe que é tão forte que até perde o filho e não deixa de ser mãe. Têm mãe que tem tanto filho que até troca os nomes. Têm mãe que nem filho teve mas conhece tão bem os sentimentos que os prolifera nos filhos adotivos por aí.

            Eu admiro a cada tipo de mãe!

            Em especial a minha! Que é uma supermãe!

            Depois admiro também as minhas mães irmãs, tias, e até minha sogra mãe que é uma mãe para mim!

            E parabéns a minha esposa que é uma mãe incrível!

            Pense você neste dia das mães qual é a sua, e mesmo que pense não era assim que eu queria, levante as mãos ao céu e agradeça! É graças a esta sua mãe que você está aí, sua mãe empreendedora! Empreendedora sim, ou acha que foi barbada criar você!

            E aproveite seu filho da mãe, a dar uns beijos maravilhosos na sua mãe e corrigir cada pedacinho de aresta entre vocês, e dê a ela, ou ele, o maior presente que um filho pode dar a uma mãe, o carinho de dizer:

 - Muito obrigado mãe por tudo, eu te amo.

            #ficadica e meus parabéns a todas as mães do mundo! Que este dia das mães seja repleto de amor e de mães maravilhosas!!!

            Um grande abraço, um feliz dia das mães!

            Curta minha página no facebook!

deixe seu comentário