Usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nosso portal, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao continuar navegando, você concorda com este monitoramento. Leia mais na nossa Política de Privacidade.

  • 970×90 (3)
  • Design sem nome – 2024-02-06T154143.111
  • BANNER UNICRED 2
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (7)
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (8)
  • clarão—970×90
  • Design sem nome – 2024-02-29T112346.494
  • Design sem nome – 2024-02-29T143231.335
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (9)
  • Banner-Camaqua_CC 970×90
  • globalway (1)

Polícia Civil esclarece boatos sobre possíveis estupros e sequestros em Camaquã

De acordo com a Polícia Civil, alguns dos casos que circulam por grupos de WhatsApp e pelas redes sociais são apenas boatos, sem registros em unidades de saúde ou em qualquer órgão de Polícia


Por Redação Clic Camaquã Publicado 30/11/2022
Ouvir: 00:00
Homem que tentou matar ex-companheira a tiros é preso
Homem que tentou matar ex-companheira a tiros é preso

Uma série de boatos envolvendo possíveis estupros em Camaquã foram esclarecidos pela Polícia Civil nesta quarta-feira, 30 de novembro. Em grupos de WhatsApp e pelas redes sociais, foram diversos relatos de possíveis estupros e até tentativas de sequestros ocorridas em diversos pontos de Camaquã.

Em nota, a Polícia Civil informou que possui conhecimento de dois fatos que ocorreram na cidade de Camaquã, os quais já estão sendo tratados com prioridade pela Delegacia de Polícia de Camaquã.

A Polícia tem conhecimento de que um suspeito em uma motocicleta, abordou duas crianças, uma estava na saída de escola no bairro Olaria e outra, no bairro Vila Nova.

Os boatos foram publicados por um portal de notícias local, fazendo com que a notícia falsa se espalhasse ainda mais. De acordo com a Polícia, alguns dos casos não possuem qualquer registro em órgão policial ou em unidade de saúde de Camaquã, sendo que provavelmente, não passam de boatos.

“É importante informar que não ocorreu nenhum sequestro de crianças e que a divulgação de fotos aleatórias em grupos de whatsApp, pode prejudicar às investigações e até mesmo indicar pessoas que não tenham relação com os fatos”, destacou a Polícia Civil.

O caso também expõe a importância de sempre se realizar o boletim de ocorrência pertinente a qualquer fato. Para que haja conhecimento por parte da Polícia, é necessário que haja o registro formal em uma delegacia.

As crianças envolvidas não tiveram seus nomes divulgados em virtude da Lei de Abuso de Autoridade (Lei nº 13.869). A lei foi sancionada em 2019 e é válida desde janeiro de 2020, impedindo a divulgação antes do trânsito em julgado em todas as instâncias da Justiça.

Polícia Civil informou que dispobiliza o telefone 197 e o WhatsApp (51) 98416-8027 para qualquer tipo de denúncia, garantindo a total preservação da identificação do denunciante, a fim de esclarecer os boatos.


  • Banner-Camaqua_CC 970×90
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (7)
  • Design sem nome – 2024-02-29T112346.494
  • Design sem nome – 2024-02-29T143231.335
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (8)
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (9)
  • globalway (1)
  • clarão—970×90
  • Design sem nome – 2024-02-06T154143.111
  • BANNER UNICRED 2
  • 970×90 (3)