Usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nosso portal, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao continuar navegando, você concorda com este monitoramento. Leia mais na nossa Política de Privacidade.

  • Banner-Camaqua_CC 970×90 (5)
  • TEXEIRA GÁS ultragaz
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (7)
  • Design sem nome – 2024-02-29T143231.335
  • Design sem nome – 2024-02-29T112346.494
  • Design sem nome – 2024-02-06T154143.111
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (9)
  • globalway (1)
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (8)
  • Design sem nome – 2024-02-06T170807.664
  • WhatsApp Image 2024-03-01 at 09.20.19
  • banner felice 2
  • _26345 banner topo 970×90 px (PNG)

Maior catástrofe climática do Rio Grande do Sul: confira informações atualizadas deste sábado

Última atualização da Defesa Civil confirma 55 mortes e outras sete em investigação; Veja como Camaquã está se preparando para receber vítimas e prestando ajuda humanitária


Por Pablo Bierhals Publicado 04/05/2024
 Tempo de leitura estimado: 00:00
imagem_do_whatsapp_de_2024-05-03_as_11.46.52_47f9a00d
Foto: Concresul/Divulgação

O Rio Grande do Sul vive a maior catástrofe climática de sua história, superando as enchentes provocadas pelo ciclone extratropical que atingiu o estado em setembro de 2023, quando 54 pessoas morreram. Neste ano, já são 55 mortes confirmadas em decorrência das cheias dos rios e lagos e deslizamentos de terra provocados pelo grande volume de chuva. As Forças Armadas estão no estado para auxiliar demais autoridades nos resgates.

O boletim oficial da Defesa Civil divulgado às 18h deste sábado (4), confirma oficialmente 55 óbitos, com outros sete em investigação (confira lista oficial no final da matéria) e 74 desaparecidos. São 317 municípios afetados, com mais de 13 mil pessoas em abrigos e quase 70 mil desalojadas.

As regiões Metropolitana, Serra, Central e dos Vales são as mais afetadas. Os rios Taquari, Caí, Jacuí e das Antas atingiram níveis recordes. Uma barragem localizada no Rio das Antas, entre os municípios de Bento Gonçalves e Cotiporã chegou a romper parcialmente na tarde de quinta-feira (2), da Serra e Vale do Taquari. Outras barragens são monitoradas pelo Governo do Estado.

Nível do Guaíba

O Guaíba ultrapassou sua marca histórica de 1941, quando atingiu 4,76 metros da cota de inundação. Na noite de sexta-feira (3), por volta das 22h, já estava em 4,77 metros. Na atualização mais recente, às 20h deste sábado, a cota já estava em 5,22 metros, sendo 3 metros o limite para inundação. Os dados são Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Infraestrutura e Agência Nacional de Águas.

A cheia ocorre principalmente pelo deságue dos rios que também estão registrando níveis históricos. Na região, os municípios são afetados pela inundação e milhares deixam suas casas. Em Canoas e Eldorado do Sul, por exemplo, bairros inteiros estão inundados. Pessoas foram resgatadas em botes e em cima dos telhados de suas residências. Em Porto Alegre, regiões da área central e 4º Distrito estão sendo evacuadas.

A cidade de Guaíba, que é atingida em menor proporção, é um dos principais pontos de apoio para população afetada pelas cheias em Eldorado do Sul, com cerca de 14 abrigos montados para receber as vítimas.

Camaquã

Um comboio de transportes da Prefeitura de Camaquã foi destinado para prestar apoio aos atingidos pela maior cheia da história do Guaíba. O município tem 52 leitos, distribuídos por três endereços (Ação Social, Ginásio Municipal de Esportes e SESC Camaquã) prontos para receber desalojados da região.

O Hospital Nossa Senhora Aparecida, mesmo em estado de superlotação, está recebendo pacientes dos municípios afetados pela inundação histórica que atinge o estado.

Além disso, coletas de doações estão sendo realizadas na Secretaria do Desenvolvimento Social (rua João de Oliveira, 57), Bombeiros (rua Waldemar Gutheil, 375) e Brigada Militar (rua Maj. Lúcio Meireles, 788). Uma carreta estacionada na Praça Zeca Netto também está recolhendo mantimentos. As doações serão destinadas para as regiões mais afetadas do estado e para moradores da várzea, que também estão isolados pela cheia do rio Camaquã.

Em coletiva de imprensa, o prefeito Ivo de Lima Ferreira afirmou que toda estrutura pública do município está a disposição para auxiliar as vítimas da catástrofe climática.

A região da Costa Doce também segue em alerta para elevação dos níveis da Lagoa dos Patos.

Rodovias federais e estaduais bloqueadas

Um mapa com os trechos de rodovias federais e estaduais bloqueados, parcialmente ou totalmente, está constantemente sendo atualizado pela Polícia Rodoviária Federal, Comando Rodoviário da Brigada Militar e Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem do Rio Grande do Sul.

Na última atualização, passavam de 130 o número de trechos bloqueados em mais de 60 rodovias.

Boletim da Defesa Civil RS

Boletim das 18h de sábado (4):

  • Municípios afetados: 317
  • Pessoas em abrigos: 13.324
  • Desalojados: 69.242
  • Afetados: 510.585
  • Feridos: 107
  • Desaparecidos: 74

Óbitos confirmados: 55

  • Bento Gonçalves (3)
  • Boa Vista do Sul (2)
  • Bom Princípio (1)
  • Canela (2)
  • Caxias do Sul (4)
  • Encantado (1) 
  • Farroupilha (1)
  • Forquetinha (2)
  • Gramado (6)
  • Itaara (1)
  • Lajeado (1)
  • Montenegro (1)
  • Pantano Grande (1)
  • Paverama (2)
  • Pinhal Grande (1)
  • Putinga (1)
  • Salvador do Sul (2)
  • Santa Cruz do Sul (3)
  • Santa Maria (6)
  • São João do Polêsine (1)
  • São Vendelino (2)
  • Segredo (1)
  • Serafina Corrêa (2)
  • Taquara (2)
  • Três Coroas (1)
  • Vale do Sol (1)
  • Venâncio Aires (3)
  • Vera Cruz (1)

Óbitos em investigação: 7

  • Caxias do Sul (1)
  • Pinhal Grande (1)
  • Santa Cruz do Sul (1)
  • Santa Maria (1)
  • Três Coroas (3)

Alertas

Para aumentar o nível de prevenção, as pessoas podem se cadastrar para receberem os alertas meteorológicos da Defesa Civil estadual. Para isso, é necessário enviar o CEP da localidade por SMS para o número 40199. Em seguida, uma confirmação é enviada, tornando o número disponível para receber as informações sempre que elas forem divulgadas.

Também é possível se cadastrar via aplicativo Whatsapp. Para ter acesso ao serviço, é necessário se registrar pelo telefone (61) 2034-4611 ou clicando aqui. Em seguida, é preciso interagir com o robô de atendimento enviando um simples “Oi”. Após a primeira interação, o usuário pode compartilhar sua localização atual ou qualquer outra do seu interesse para, dessa forma, receber as mensagens que serão encaminhadas pela Defesa Civil estadual.


  • Design sem nome – 2024-02-29T143231.335
  • globalway (1)
  • Design sem nome – 2024-02-29T112346.494
  • Banner-Camaqua_CC 970×90 (5)
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (8)
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (9)
  • banner felice 2
  • Design sem nome – 2024-02-06T170807.664
  • _26345 banner topo 970×90 px (PNG)
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (7)
  • Design sem nome – 2024-02-06T154143.111
  • TEXEIRA GÁS ultragaz
  • WhatsApp Image 2024-03-01 at 09.20.19