Campo em Dia

Estação de Pesquisa do IRGA recebe licença da Fepam

O trabalho se focou em práticas e técnicas de manejo mais adequadas, visando à conservação e ao uso eficiente dos recursos naturais disponíveis na EEA
Por: Elias Bielaski | Publicado: 20/10/2021 às 15:25 | Alterado: 26/10/2021 às 06:41 | Fonte: IRGA
Foto: Glaciele Barbosa/Irga
Foto: Glaciele Barbosa/Irga

O Instituto Rio Grandense do Arroz recebeu da Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) licenciamento para a Estação Experimental do Arroz (EEA) do Irga, em Cachoeirinha, onde fica a Divisão de Pesquisa da autarquia.

Concorra a um rancho do Macro Atacado Krolow <

O processo para obter o licenciamento foi coordenado pela consultora do Irga Neiva Knaak.

Desde 2018, Neiva buscou adequar a área usada pela Pesquisa do instituto às normativas exigidas pela Fepam.

O trabalho se focou em práticas e técnicas de manejo mais adequadas, visando à conservação e ao uso eficiente dos recursos naturais disponíveis na EEA.

Em 13 de outubro deste ano o projeto foi aprovado pelo órgão ambiental.

Receba as notícias do Clic pelo WhatsApp <

“O incentivo por práticas agrícolas ambientalmente corretas são metas a serem atingidas para o desenvolvimento sustentável do agronegócio, onde é necessário produzir mais com menos, investindo em pesquisa e tecnologia de qualidade. Dessa forma, a pesquisa do Irga atinge o seu papel de gerar tecnologias para o desenvolvimento da cadeia do arroz em todo o Estado, contribuindo com a sustentabilidade ambiental dos modelos de produção agrícola”, acrescenta Neiva.

Seção de Melhoramento Genético da Estação Experimental do Arroz. Crédito: Arquivo/Irga

Clique aqui e vote no Prêmio Prime 2022 <

O presidente do Irga, Rodrigo Machado, destaca o trabalho da equipe da EEA para obter a licença.

“Isso é resultado de um trabalho de mais de três anos para adequação às exigências da legislação ambiental. Uma tarefa que exigiu investimentos e dedicação por parte dos servidores. E cujo resultado valoriza ainda mais a Estação de Pesquisa do Irga”, comenta Machado.

A diretora técnica da autarquia, Flávia Tomita, que foi gerente da EEA nos últimos quatro anos e acompanhou todo o processo para o licenciamento da Fepam, explica que essa conquista está relacionada com o princípio de sustentabilidade adotado pelo instituto.

“É essencial que a pesquisa desenvolva tecnologia em consonância com a boas práticas voltadas ao meio ambiente”, acrescenta Flávia.

Assista a transmissão do Prêmio Prime 2021 <

deixe seu comentário