Usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nosso portal, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao continuar navegando, você concorda com este monitoramento. Leia mais na nossa Política de Privacidade.

  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (7)
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (9)
  • clarão—970×90
  • Banner-Camaqua_CC 970×90
  • 970×90 (3)
  • globalway (1)
  • Design sem nome – 2024-02-29T112346.494
  • Design sem nome – 2024-02-29T143231.335
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (8)
  • Design sem nome – 2024-02-06T154143.111

Residências do bairro Olaria são apedrejadas e tem telhados danificados

Moradores relatam apedrejamento que ocorre há dias; veículo da Brigada Militar também foi apedrejado e autores não foram localizados


Por Redação Clic Camaquã Publicado 19/02/2021
Ouvir: 00:00

Diversos moradores do bairro Olaria entraram em contato com a reportagem do Clic Camaquã para relatar uma situação complicada que é enfrentada há cinco dias. Diversas casas das ruas Marcírio Dias Longaray e Ana Gonçalves da Silva estão sendo apedrejadas desde segunda-feira, 15 de fevereiro.

Baixe o aplicativo da ClicRádio e concorra a prêmios toda sexta.

Na tarde desta quinta-feira (18), o repórter Igor Garcia foi até o local e já durante a chegada, pode acompanhar a preocupação de dezenas de moradores de diferentes residências. Os moradores estavam reunidos para tentar identificar os autores, mas até o momento, ainda não encontraram nenhum deles.

Eles relataram que a Brigada Militar (BM) tem acompanhado os ocorridos junto aos moradores desde o início e mesmo após verificação do perímetro das residências e quadras próximas, ainda não conseguiram interromper a ação. Eles também relataram que até o carro da BM foi apedrejado durante um dos atendimentos.

Os moradores suplicaram pela interrupção dos ataques, que até agora, não tiveram nenhum autor identificado. Nenhum morador soube identificar o motivo dos ataques, que ocorrem em diversos momentos do dia. Acompanhe a reportagem completa:

Para a reportagem do Clic Camaquã, os moradores relataram que estão desde segunda-feira (15) enfrentando dificuldades para dormir, já que durante a noite, o apedrejamento é intensificado. São pedras dos mais diversos tamanhos, trazendo dano para telhados, vidros e veículos dos moradores. 

Mais de um moradores relatou ter tido transtornos ainda maiores durante as chuvas dos últimos dias, já que as pedras trouxeram goteiras para diversas casas, danificando até mesmo o forro de algumas residências. Outro moradores relatou ter seu pai idoso e acamado, que também tem sofrido por conta dos ataques.

Clique aqui e receba as notícias da região no seu celular.

A internauta Andréia conversou com a reportagem e relatou que cuida de duas idosas, ambas com limitações para locomoção. Ambas tem enfrentado dificuldade durante os períodos de descanso, já que o apedrejamento ocorre em diversos momentos do dia.

Qualquer informação pode ser repassada para a Brigada Militar pelo número 190 ou para a Polícia Civil, no telefone (51) 3671-4996. Internautas podem compartilhar seus relatos, fotos e vídeos pelo número (51) 99200-4902.


  • Design sem nome – 2024-02-06T154143.111
  • 970×90 (3)
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (7)
  • Design sem nome – 2024-02-29T143231.335
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (9)
  • clarão—970×90
  • Banner-Camaqua_CC 970×90
  • globalway (1)
  • Design sem nome – 2024-02-29T112346.494
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (8)