Eleições 2020

Eleições 2020: "Quando o governante é bom, a imprensa vai divulgar isso”, afirma advogado

Nelson Egon Geiger falou durante sua participação na ClicRádio, sobre o papel da imprensa, principalmente neste período de eleições municipais
Por: Sabrina Borges | Publicado: 09/09/2020 às 00:00 | Alterado: 22/04/2021 às 11:06
Eleições 2020 Foto: Matt Chesin Avatar/Unsplash
Eleições 2020 Foto: Matt Chesin Avatar/Unsplash

Em um ano de eleições municipais, o assunto mais discutido na cidade não poderia ser outro. No dia 15 de novembro as cidades do país vão escolher quem vai administrar o município nos próximos quatro anos. 

E como não é diferente, a imprensa desempenha um importante papel neste período, ainda mais em tempos em que as fake news “rolam soltas” pela internet. E foi sobre essa importância toda que o advogado e comentarista do Clic Camaquã, Nelson Egon Geiger falou durante sua participação na ClicRádio. 

Trazendo uma elaborada recapitalização de acontecimentos históricos, o advogado contou como eram disseminadas as informações através dos “mensageiros” e como esse processo poderia demorar um tempo significativo até chegar às pessoas. 

Como tudo, houve um grande processo de evolução em como a comunicação é feita. “A imprensa atual, nada mais é que os mensageiros da antiguidade, que hoje está aprimorada”, afirmou Nelson. “A imprensa deve ser respeitada, porque este é o grande caminho da globalização do nosso planeta”, comentou.

Nelson relembrou durante sua participação, que a imprensa se tornou ainda mais importante, isso por reportar as notícias de forma instantânea, independente da sua localização no mundo. As notícias podem ser acompanhadas em tempo real através do avanço das tecnologias. 

O comentarista falou sobre um outro lado da imprensa, que intitulou como a “imprensa marrom”. A expressão é normalmente utilizada para se referir a veículos de comunicação, considerados sensacionalistas. Para Nelson, este tipo de imprensa pode conduzir matérias para difamar pessoas, principalmente políticos. 

“Quando o governante é bom, a imprensa vai divulgar isso”, afirmou. Definitivamente, o papel da imprensa é informar os fatos, “bons ou ruins”. Cabe aos veículos de comunicação desenvolver um papel de supervisor, expondo a corrupção. 

 

 

deixe seu comentário