Usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nosso portal, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao continuar navegando, você concorda com este monitoramento. Leia mais na nossa Política de Privacidade.

  • _26345 banner topo 970×90 px (PNG)
  • Design sem nome – 2024-02-06T170807.664
  • Design sem nome – 2024-02-29T112346.494
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (9)
  • Design sem nome – 2024-02-29T143231.335
  • globalway (1)
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (8)
  • Design sem nome – 2024-02-06T154143.111
  • TEXEIRA GÁS ultragaz
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (7)
  • WhatsApp Image 2024-03-01 at 09.20.19
  • banner felice 2
  • Banner-Camaqua_CC 970×90 (5)

Homem é condenado por estupro e morte de menina de 5 anos em Lajeado

Ele foi condenado pelos crimes de estupro de vulnerável, homicídio qualificado e tentativa de ocultação de cadáver


Por Redação Clic Camaquã Publicado 11/11/2022
 Tempo de leitura estimado: 00:00
Homem é condenado por estupro e morte de menina de 5 anos em Lajeado
Homem é condenado por estupro e morte de menina de 5 anos em Lajeado

Um homem foi condenado a 39 anos e 5 meses de prisão por estupro e morte de uma menina de apenas 5 anos, em Lajeado. Ele foi condenado pelos crimes de estupro de vulnerável, homicídio qualificado e tentativa de ocultação de cadáver.

O criminoso foi condenado pelo assassinato de Ághata Rodrigues dos Santos, que foi morta em setembro de 2021 em Lajeado, cidade que fica a 115 km de Porto Alegre.

O condenado é Juliano Neinas, de 36 anos, que deve cumprir a pena em regime fechado no Presídio Estadual de Sobradinho. De acordo com o G1, ele foi preso em flagrante pelo crime e está na casa prisional há cerca de um ano.

A Defensoria Pública, responsável pela defesa de Neinas, disse que “respeita a decisão do plenário de forma que seguirá realizando o atendimento ao réu, visando garantir a ampla defesa e o contraditório”.

Em depoimento, Juliano confessou o crime de abuso sexual, mas afirmou ser inocente dos crimes de assassinato e ocultação de cadáver. Ele disse ser usuário de drogas desde os 18 anos e alegou estar sob o efeito de entorpecentes no momento em que teria estuprado a menina.

De acordo com a investigação, Neinas era amigo da mãe da menina. No dia do crime, ele teria ido até à casa da família para levar Ághata ao supermercado. Imagens de câmeras de segurança registraram os dois caminhando por uma rua no Centro da cidade.

Em depoimento à polícia, a mãe da menina disse que teria buscado a Brigada Militar (BM) depois de ficar uma hora esperando por Juliano e Ághata, que não voltavam para casa.

Ághata foi encontrada despida no Rio Taquari. Ela chegou a ser socorrida e levada para um hospital, mas não resistiu. O Instituto-Geral de Perícias (IGP) constatou que ela havia sofrido violência sexual e que morreu afogada.


  • Design sem nome – 2024-02-29T112346.494
  • Banner-Camaqua_CC 970×90 (5)
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (7)
  • _26345 banner topo 970×90 px (PNG)
  • globalway (1)
  • Design sem nome – 2024-02-29T143231.335
  • TEXEIRA GÁS ultragaz
  • Design sem nome – 2024-02-06T170807.664
  • WhatsApp Image 2024-03-01 at 09.20.19
  • banner felice 2
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (9)
  • Design sem nome – 2024-02-06T154143.111
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (8)