Usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nosso portal, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao continuar navegando, você concorda com este monitoramento. Leia mais na nossa Política de Privacidade.

  • Design sem nome – 2024-02-29T143231.335
  • globalway (1)
  • Banner-Camaqua_CC 970×90
  • clarão—970×90
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (7)
  • 970×90 (3)
  • Design sem nome – 2024-02-06T154143.111
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (9)
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (8)
  • Design sem nome – 2024-02-29T112346.494

Valéria Barcellos será intérprete do Hino Nacional na Parada LGBTI+

Atriz assume o posto ocupado por 12 anos por Jane di Castro


Por Celiomar Garcia Publicado 11/11/2023
Ouvir: 00:00
Foto: Flavia Vilella/Agência Brasil

A atriz e cantora Valéria Barcellos será a intérprete oficial do Hino Nacional da Parada do Orgulho LGBTI+ do Rio de Janeiro. A 28ª edição da manifestação acontecerá no dia 19 de novembro, a partir das 11h, no Posto 5, em Copacabana, com o tema O amor, a cidadania e a luta LGBTI+ jamais vão recuar.

Mulher trans negra, Valéria assume o posto ocupado por 12 anos pela ativista e transexual histórica da noite carioca Jane di Castro, que morreu em 2020.

Ao convidar a nova intérprete para a Parada LGBTI+, o Grupo Arco-Íris, organizador do evento, informou que a intenção é que a cantora continue nas próximas edições.

Valéria está no ar na TV aberta na novela Terra e Paixão, como Luana Shine.

Eterna
A posição de intérprete do Hino Nacional na Parada LGBTI+ do Rio de Janeiro, a mais antiga do Brasil, ganhou notoriedade pela presença marcante de Jane Di Castro, que abria a parada com sua interpretação.

Jane estreou na noite carioca em 1966, no espetáculo Les Girls, e, desde então, não saiu mais dos palcos. Foi dirigida por grandes nomes como Ney Latorraca, Bibi Ferreira, Marlene, Berta Loran. Atuou também em vários trabalhos na televisão e no cinema. No documentário Divinas Divas, dirigido por Leandra Leal, Di Castro conta sua luta junto a outras grandes artistas trans, como Rogéria, para romper padrões em uma época de grande repressão.

Durante o programa Atos, da TV Brasil, Jane relembrou esse período difícil, em que chegou a ser presa várias vezes por se vestir de mulher, mas ressaltou a felicidade que a arte lhe trouxe desde então.

A atriz e cantora morreu aos 73 anos, vítima de um câncer, em 23 de outubro de 2020.

Fonte: Agência Brasil


  • globalway (1)
  • clarão—970×90
  • Design sem nome – 2024-02-29T112346.494
  • 970×90 (3)
  • Banner-Camaqua_CC 970×90
  • Design sem nome – 2024-02-06T154143.111
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (8)
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (7)
  • Design sem nome – 2024-02-29T143231.335
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (9)