Usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nosso portal, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao continuar navegando, você concorda com este monitoramento. Leia mais na nossa Política de Privacidade.

  • cq-01
  • Design sem nome – 2024-02-29T112346.494
  • globalway (1)
  • Design sem nome – 2024-02-29T143231.335
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (8)
  • WhatsApp Image 2024-04-02 at 17.18.51
  • TEXEIRA GÁS ultragaz
  • Design sem nome – 2024-02-06T154143.111
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (7)
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (9)
  • WhatsApp Image 2024-03-01 at 09.20.19
  • Design sem nome – 2024-02-06T170807.664

Julho Amarelo: Estado promove campanha para alertar os riscos da hepatite

O vírus tipo C é líder de infecções na Região Sul


Por Redação/Clic Camaquã Publicado 28/07/2023
 Tempo de leitura estimado: 00:00
Fonte: Divulgação/Secom

A Hepatite caracteriza qualquer inflamação no fígado, que pode ser causada por determinados vírus dos tipos A, B, C, D ou E. A infecção pode ser silenciosa ou apresentar sintomas como náuseas, dor abdominal, fadiga, febre, pele e olhos amarelados.

No Rio Grande do Sul, as hepatites representam grande importância por serem um dos agravos transmissíveis mais notificados ao Centro Estadual de Vigilância Sanitária (Cevs). Celebrado em 28 de julho, o Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais é marcado pelo compromisso do Estado no combate à doença.

O Rio Grande do Sul ocupa hoje o primeiro lugar de incidência do vírus tipo C no Brasil. Apesar de não haver vacina, o tratamento para a Hepatite C tem chances de cura em 95% dos casos.

Conforme as diretrizes do Ministério da Saúde, o Rio Grande do Sul é parceiro das estratégias de eliminação das Hepatites B e C como problemas de saúde pública até 2030. A Política de Hepatites Virais prevê o enfrentamento estadual desde a atenção primária até a vigilância epidemiológica dos casos. Entre as prioridades, estão a:

Vacinação da população para Hepatite A e B

Simplificação do diagnóstico, por meio de testes rápidos de Hepatite B e C nas unidades básicas de saúde

Implantação de fluxograma para diagnóstico, manejo e tratamento na Atenção Primária em Saúde

Estratégia de microeliminação da Hepatite C, visando as populações mais vulneráveis (idade superior a 40 anos, pessoas realizando hemodiálise, pessoas privadas de liberdade, pessoas que usam álcool e outras drogas, pessoas que vivem com HIV e outros imunossuprimidos)

Facilidade de acesso à medicação e tratamento

Abecedário das hepatites

  • Hepatite A: transmitida por via fecal-oral, tem vacina para público adulto e infantil.
  • Hepatite B: transmitida pelo sangue fluidos corporais contaminados, tem vacina para público adulto e infantil.
  • Hepatite C: transmitida pelo sangue fluidos corporais contaminados, tem prevenção e teste rápido nas unidades de saúde.
  • Hepatite D: prevalência no norte do Brasil.
  • Hepatite E: prevalência nos continentes asiático e africano.

  • WhatsApp Image 2024-04-02 at 17.18.51
  • Design sem nome – 2024-02-06T170807.664
  • Design sem nome – 2024-02-06T154143.111
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (8)
  • cq-01
  • globalway (1)
  • TEXEIRA GÁS ultragaz
  • Design sem nome – 2024-02-29T143231.335
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (7)
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (9)
  • Design sem nome – 2024-02-29T112346.494
  • WhatsApp Image 2024-03-01 at 09.20.19