Usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nosso portal, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao continuar navegando, você concorda com este monitoramento. Leia mais na nossa Política de Privacidade.

  • cq-01
  • WhatsApp Image 2024-03-01 at 09.20.19
  • Design sem nome – 2024-02-06T170807.664
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (9)
  • globalway (1)
  • Banner-Camaqua_CC 970×90 (2)
  • Design sem nome – 2024-02-06T154143.111
  • Design sem nome – 2024-02-29T143231.335
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (8)
  • 2024 BANNER TOPO CAPA DE SITE DIA DE CAMPO DESKTOP
  • Design sem nome – 2024-02-29T112346.494
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (7)

Rio Grande do Sul assina Pacto Federativo para a Erradicação do Trabalho Escravo

O documento dá andamento ao planejamento de medidas integradas para promoção e aperfeiçoamento das políticas públicas direcionadas ao tema


Por Kathrein Silva Publicado 17/01/2024
 Tempo de leitura estimado: 00:00
Design sem nome – 2024-01-17T085344.649
Foto: Maurício Tonetto

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), assinou na última terça-feira (16), o documento que renova as atualizações do Pacto Federativo para a Erradicação do Trabalho Escravo. O ato, que reuniu no Palácio Piratini representantes dos poderes executivos estadual e federal e do Ministério Público do Trabalho (MPT-RS), dá andamento ao planejamento de medidas integradas para promoção e aperfeiçoamento das políticas públicas direcionadas ao tema.  

O pacto formaliza uma série de compromissos que garantirá pleno funcionamento à comissão responsável pelo combate ao trabalho escravo. No caso, a Comissão Estadual para Erradicação do Trabalho Escravo (Coetrae/RS), cuja missão é elaborar planos, metas e ações preventivas. O acordo firma também a cooperação com o Fluxo Nacional para Atendimento às Vítimas de Trabalho Escravo, novo instrumento criado a partir da revisão do pacto pela União.

O governador lembra que foi criado no ano passado, um fluxo estadual intersetorial de atendimento às vítimas, e enfatizou a adesão do Estado ao pacto nacional como um elo de responsabilidade compartilhada no combate a práticas que afrontem os direitos humanos.

Essa renovação não é mero instrumento legal, é uma promessa que fazemos de ampliar nossos esforços na luta por respeito e condições dignas de trabalho para todos

O Rio Grande do Sul participa do pacto desde 2017. A renovação reafirma o acolhimento, pelo Estado, das novas medidas anexadas pelo Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania, em 2021, por meio da portaria nº 1.620. Além da cooperação com novo fluxo nacional de atendimento à vítimas em casos análogos à escravidão, outra mudança importante apresentada pelo novo pacto é a possibilidade de participação dos municípios, que agora poderão se juntar aos Estados no cumprimento das normas do documento.

O estado se soma a outros quatro estados que já aderiram ao pacto em seu novo modelo. O documento foi assinado por Pernambuco, Pará, Rio Grande do Norte e Minas Gerais, além dos municípios de Niterói e Maringá.

Compromissos do pacto

  • Institucionalizar comissões estaduais e municipais para erradicação do trabalho escravo;
  • elaborar planos estaduais e municipais para erradicação do trabalho escravo, com metas, indicadores, ações de prevenção e repressão ao trabalho escravo, além de reinserção das vítimas;
  • cooperar com o Fluxo Nacional para Atendimento às Vítimas de Trabalho Escravo;
  • apoiar o desenvolvimento de softwares e programas para manutenção de dados e gerenciamento administrativo de comissões estaduais e municipais.

Fluxo estadual intersetorial

O governo do Estado atua de forma organizada para atender a possíveis casos de trabalho análogo a escravidão. Com esse objetivo, criou um fluxo estadual intersetorial (oficializado em setembro do ano passado) envolvendo diversas secretarias.

A meta é atuar no resgate e no pós-resgate de vítimas de trabalho análogo à escravidão, nos termos do Decreto 57.205/2023. Desde então, foram realizadas capacitações para as pastas envolvidas, em especial junto à Rede de Vigilância em Saúde do Trabalhador, por meio da Secretaria da Saúde (SES).

Os casos de trabalho análogo à escravidão são tratados de forma coordenada e conjunta pelas secretarias designadas. Elas estão articuladas com a Coetrae/RS a fim de oferecer um atendimento rápido e eficaz às vítimas.

Em 2023, os órgãos do Estado atuaram em ações de resgate de cerca de 350 pessoas. Participam dessa articulação:

  • Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos;
  • Secretaria da Saúde;
  • Secretaria da Segurança Pública;
  • Secretaria de Trabalho e Desenvolvimento Profissional;
  • Secretaria de Assistência Social;
  • Secretaria de Desenvolvimento Rural;
  • Secretaria de Inclusão Digital e Apoio às Políticas de Equidade.

Comissão direcionada

A Coetrae/RS, criada pelo Decreto Estadual 49.123/2012, acompanha as ações do Plano Nacional de Combate ao Trabalho Escravo e a tramitação de projetos de lei relacionados ao combate e à erradicação do trabalho análogo à escravidão. Além disso, avalia e contribui com as ações, os programas, os projetos e os planos relacionados à prevenção e ao enfrentamento da exploração do trabalho em condições degradantes no RS.

Com a atualização do pacto, a Coetrae passa a exercer papel importante na articulação entre órgãos federais, estaduais e municipais dentro do fluxo nacional.


  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (9)
  • Design sem nome – 2024-02-29T112346.494
  • 2024 BANNER TOPO CAPA DE SITE DIA DE CAMPO DESKTOP
  • Design sem nome – 2024-02-06T170807.664
  • cq-01
  • Banner-Camaqua_CC 970×90 (2)
  • globalway (1)
  • Design sem nome – 2024-02-29T143231.335
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (7)
  • WhatsApp Image 2024-03-01 at 09.20.19
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (8)
  • Design sem nome – 2024-02-06T154143.111