Usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nosso portal, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao continuar navegando, você concorda com este monitoramento. Leia mais na nossa Política de Privacidade.

  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (8)
  • Design sem nome – 2024-02-06T154143.111
  • TEXEIRA GÁS ultragaz
  • Design sem nome – 2024-02-06T170807.664
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (7)
  • Design sem nome – 2024-02-29T143231.335
  • globalway (1)
  • WhatsApp Image 2024-04-02 at 17.18.51
  • cq-01
  • Design sem nome – 2024-02-29T112346.494
  • WhatsApp Image 2024-03-01 at 09.20.19
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (9)

Polícia Federal aponta que quadrilha suspeita de furtar encomendas dos Correios no RS pintou caminhonete de amarelo para que não fossem descobertos

Pela semelhança das cores, quadrilha adotou a estratégia com o intuito de não chamar a atenção das autoridades


Por João Victor Fagundes Publicado 28/03/2024
 Tempo de leitura estimado: 00:00
correio (1)
Foto: PF / Divulgação

No início do mês, foram indiciados 18 suspeitos de participar de quadrilha que praticava roubos a encomendas dos Correios no RS. Segundo a PF, o grupo era responsável por desviar aparelhos eletrônicos, como celulares, notebooks e computadores, somando ao todo, um prejuízo estimado em mais de 1 milhão de reais aos Correios. Como estratégia para que não fossem descobertos pelas autoridades, a quadrilha adotou uma solução um pouco inusitada, pintar uma caminhonete de amarelo, a cor predominante na identidade visual dos Correios.

Todos investigados respondem pelos crimes de furto qualificado, receptação qualificada, organização criminosa, lavagem de dinheiro, tráfico internacional de drogas e uso clandestino de rádio transceptor. Até o momento, nove pessoas foram presas. 

A rota preferida da quadrilha era entre as cidades de Joinville (SC) e Porto Alegre, sendo esse trecho o principal caminho de compras enviadas do centro do país ao RS. A quadrilha contava com ajuda de motoristas terceirizados, que recebiam dinheiro para facilitar que os criminosos retirassem os produtos que desejavam, logo após, instalando um lacre falso no caminhão, visando que o crime não fosse descoberto.

As mercadorias roubadas eram vendidas em redes sociais e sites, com preço abaixo do normal. Logo quando os criminosos suspeitaram da investigação, iniciaram o processo de destruição de provas.


  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (9)
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (7)
  • cq-01
  • WhatsApp Image 2024-04-02 at 17.18.51
  • TEXEIRA GÁS ultragaz
  • WhatsApp Image 2024-03-01 at 09.20.19
  • Design sem nome – 2024-02-29T143231.335
  • globalway (1)
  • Design sem nome – 2024-02-06T170807.664
  • Design sem nome – 2024-02-29T112346.494
  • Design sem nome – 2024-02-06T154143.111
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (8)