Usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nosso portal, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao continuar navegando, você concorda com este monitoramento. Leia mais na nossa Política de Privacidade.

  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (9)
  • Design sem nome – 2024-02-06T170807.664
  • globalway (1)
  • Design sem nome – 2024-02-29T112346.494
  • Design sem nome – 2024-02-29T143231.335
  • TEXEIRA GÁS ultragaz
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (8)
  • Banner-Camaqua_CC 970×90 (5)
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (7)
  • clarão—970×90
  • Design sem nome – 2024-02-06T154143.111

Justiça da Espanha condena três torcedores por atos de racismo contra Vini Jr.

O caso de racismo aconteceu no ano passado em jogo contra o Valencia; em decisão inédita, três torcedores foram condenados a oito meses de prisão em regime fechado


Por João Victor Fagundes Publicado 10/06/2024
Ouvir: 00:00
vinijrracismo
Foto: Getty Imagens

Nesta segunda-feira (10), a Justiça da Espanha tomou uma decisão inédita no país. Pela primeira vez na história, torcedores espanhóis são condenados por um caso de racismo dentro das dependências de um estádio de futebol. Três torcedores que proferiram palavras racistas ao atacante brasileiro Vinicius Jr. foram condenados a oito meses de prisão em regime fechado.

Relembre o caso
No ano passado, em partida válida pelo Campeonato Espanhol, o Real Madrid, time de Vini Jr. enfrentou fora de casa a equipe do Valencia, no Estádio Mestalla. Durante o jogo, após ser insultado por torcedores da equipe da casa, Vini reclamou diretamente para o juiz da partida, que interrompeu o jogo.

Uma confusão se formou, e um jogador do Valencia deu uma “chave de braço” no jogador brasileiro, que, ao se desvencilhar, atingiu outro adversário no rosto e foi expulso.

Vini reclamou ao final da partida, queixando-se à liga espanhola por diversos outros casos de racismo sofridos por ele nos últimos meses, mas foi duramente criticado por Javier Tebas, presidente da La Liga.

Hoje
Mais de um ano após o ocorrido, os três torcedores que haviam chamado o brasileiro de “macaco” foram condenados por delito contra a integridade moral, tendo em vista que a Espanha não tem uma tipificação específica para casos de racismo. Os acusados terão que cumprir oito meses de prisão em regime fechado.


  • Design sem nome – 2024-02-06T154143.111
  • Design sem nome – 2024-02-06T170807.664
  • Banner-Camaqua_CC 970×90 (5)
  • Design sem nome – 2024-02-29T143231.335
  • globalway (1)
  • clarão—970×90
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (9)
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (8)
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (7)
  • TEXEIRA GÁS ultragaz
  • Design sem nome – 2024-02-29T112346.494