Dida, Lúcio e Maxi: A volta dos ‘vira-casacas’ no futebol brasileiro


Por Redação/Clic Camaquã Publicado 10/01/2014
 Tempo de leitura estimado: 00:00

Ver um jogador trocando um clube por um dos rivais ainda não é encarado como algo normal no futebol europeu, mas, aqui no Brasil, já passou a ser considerado natural há muitos anos. Sobram exemplos, como Leonardo Moura, Conca e Thiago Neves (veja mais abaixo). E três jogadores chamam a atenção no momento, pois agora defendem as cores dos outrora rivais. São eles: Dida, Lúcio e Maxi Biancucchi. Atletas que podem aumentar as já mais do que tradicionais rivalidades entre São Paulo e Palmeiras, Grêmio e Internacional e, por fim, Vitória e Bahia.

O goleiro passou a ser o primeiro novo integrante da lista de “vira-casacas”. Após não renovar com o Grêmio, seu clube em 2013, Dida, do alto dos seus 40 anos, acertou vínculo de duas temporadas com o Internacional. Ele agora tem como missão evitar os gols dos seus ex-companheiros de clube.

O zagueiro, contratado com status de líder do sistema defensivo do São Paulo, caiu em desgraça após falhas, expulsões e problemas de relacionamento com dois técnicos: Ney Franco e Paulo Autuori. Resultado? Foi afastado ainda em julho.

Mesmo em baixa, o experiente defensor, de 35 anos, virou alvo do Palmeiras, que busca qualificar o elenco para o ano do seu centenário. Lúcio conseguiu rescindir com o Tricolor e agora é do Alviverde.

Já Maxi Biancucchi, é, até o momento, a última novidade da lista. Após se destacar com o Vitória em 2013 – foram 17 gols –, ele foi, assim como o irmão Emanuel, confirmado como reforço do Bahia. Serão três anos de contrato para o atacante de 29 anos.

TEM ATÉ DIRIGENTE!

Rodrigo Caetano não renovou com o Fluminense e… fechou com o Vasco, clube que havia trabalhado antes de acertar com o Tricolor. Ele voltou a ser o diretor-executivo de futebol do Cruz-Maltino.

INEDITISMO PARA DIDA

Dida defendeu o Grêmio em 2013 e foi bem. E eis que, aos 40 anos, ele resolveu aceitar a proposta do o Internacional, o maior rival do seu agora ex-clube.

Ao ser apresentado, no último dia 26, o goleiro – que jamais havia defendido dois clubes da mesma cidade – garantiu: ‘‘A sensação que estou sentindo é boa. Acho que é a primeira vez que fiz isso na minha carreira e não me arrependo’’.

Resta saber se Dida, que firmou vínculo de duas temporadas com o Colorado, terá sucesso em seu desafio, pois o lateral-direito Gabriel acertou com o Internacional para 2013 vindo do Grêmio, mas não teve o seu vínculo renovado e está sem clube.

O EXEMPLO BÁVARO

A troca de jogadores entre rivais não é exclusividade do mercado de transferências brasileiro. O campeão do mundo Bayern de Munique assinou com… do Borussia Dortmund: Mario Götze, tratado como a grande joia da nova geração alemã, e o centroavante Robert Lewandowski.

O primeiro foi pivô de uma polêmica, pois foi contratado dias antes da final da Liga dos Campeões 2012/2013, disputada entre os dois times. Já Lewandowski tomará o mesmo destino de Götze a partir de julho deste ano. E ele cogitar contratar seguranças para evitar qualquer tipo de problema com essa mudança.

VEJA ALGUNS JOGADORES QUE SE DERAM BEM AO TROCAR DE RIVAL NOS ÚLTIMOS ANOS

CONCA
O argentino saiu do Vasco para se tornar um dos maiores ídolos na história recente do Fluminense.

THIAGO NEVES
Foi mais vitorioso depois que trocou o Flamengo pelo Flu, mas não jogou o mesmo futebol.

LEONARDO SILVA
Saiu do Cruzeiro para se tornar campeão da Copa Libertadores pelo rival Atlético-MG em 2013.

LÉO MOURA
O lateral deixou o Fluminense para se tornar capitão e referência do Flamengo, no qual foi campeão brasileiro e duas vezes da Copa do Brasil.

PETKOVIC
Depois de bom desempenho pelo Fla, chegou ao Vasco e foi campeão carioca em 2003 pelo Cruz-Maltino.

… E QUEM NÃO TEVE A MELHOR DAS PASSAGENS PELO NOVO CLUBE

GABRIEL
O lateral-direito trocou o Grêmio pelo Inter em 2013, foi titular, mas não teve o seu vínculo renovado para 2014. Procura um clube.

MAIKON LEITE
Promessa no Santos, o atacante acertou com o Palmeiras e esteve entre os rebaixados em 2012. Foi emprestado ao Náutico e, agora, para o Atlas (MEX).

WELLINGTON SILVA
O lateral trocou Flamengo por Fluminense em 2013, mas passou a maior parte do ano fora.

LEANDRO AMARAL
Trocou o Vasco pelo Fluminense, teve a ida barrada e viu a carreira ir por água abaixo.

MARCOS ASSUNÇÃO
Saiu do Palmeiras para jogar pelo Santos, mas não conseguiu emplacar no Alvinegro praiano. Dispensado, acertou com o Figueirense.


Usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nosso portal, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao continuar navegando, você concorda com este monitoramento. Leia mais na nossa Política de Privacidade.