Usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nosso portal, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao continuar navegando, você concorda com este monitoramento. Leia mais na nossa Política de Privacidade.

  • 2024 BANNER TOPO CAPA DE SITE DIA DE CAMPO DESKTOP
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (9)
  • globalway (1)
  • cq-01
  • Design sem nome – 2024-02-06T170807.664
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (7)
  • Design sem nome – 2024-02-06T154143.111
  • WhatsApp Image 2024-02-01 at 16.56.45
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (8)

Técnico agrícola destaca que pelo terceiro ano não há quebra de safra na Costa Doce

Confira a entrevista com Emerson Peres para a Clic Rádio


Por Redação/Clic Camaquã Publicado 30/01/2023
 Tempo de leitura estimado: 00:00
Foto: Keila Moreira Clic Camaquã

A estiagem atinge todo o Rio Grande do Sul, prejudicando as safras de milho e soja, com perdas irreversíveis. Na manhã desta segunda-feira (30), o técnico agrícola Emerson Peres, em entrevista para a Clic Rádio descreveu os efeitos deste cenário climático na Costa Doce.

O Estado enfrenta pelo terceiro ano consecutivo um período severo de estiagem, com grandes impactos na produção de grãos e proteína. Com maiores perdas nas faixas norte e noroeste, segundo Emerson.

Sobre os índices de chuva e a demanda para a região “A faixa leste que nos abrange, tem nos contemplado com chuvas, embora não venha na quantidade que se necessita, pelo terceiro ano não há quebra de safra. Já na grande parte norte há prejuízos enormes, principalmente para o Estado que fica sem o fornecimento de milho”, afirma

Mais de 40 municípios decretaram situação de emergência no Estado, com projeções que estes dados atinjam até 60 municípios.

Conforme o técnico agrícola, espera-se que a chegada do El Niño em 2023, promova a ocorrência de chuvas regulares e frequentes no Rio Grande do Sul. A tendência de troca entre os fenômenos climáticos provoca chuvas no Sul e estiagem no centro e norte do Brasil.

Arroz na região Sul

Emersos destaca que a produção de arroz baixou a área em cerca de 100 mil hectares, mas está em nível de estabilidade. Pois o Estado estava com um índice de produção acima do consumo.

O Rio Grande do Sul responde por 70% da produção de arroz do Brasil, afetando diretamente os preços de mercado no país. Segundo o técnico agrícola houve uma elevação dos preços da saca ao final de 2022, mas iniciou 2023 em queda e é esperada uma estabilidade no período de colheita

Na atual safra, a projeção é de uma área de arroz fique 10% menor no Estado, que é o maior produtor nacional. Irrigadas, as lavouras tendem a ter menos impacto da estiagem. No quadro atual, no entanto, fala-se em perda de potencial produtivo.

A 33ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz ocorrerá em fevereiro, com programação nos dias 14, 15 e 16. O evento será realizado na área das lavouras cultivadas na estação Terras Baixas da Embrapa Clima Temperado.

Confira na íntegra a entrevista completa com Emerson Peres.


  • globalway (1)
  • Design sem nome – 2024-02-06T154143.111
  • Design sem nome – 2024-02-06T170807.664
  • cq-01
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (7)
  • WhatsApp Image 2024-02-01 at 16.56.45
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (8)
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (9)
  • 2024 BANNER TOPO CAPA DE SITE DIA DE CAMPO DESKTOP