Usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nosso portal, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao continuar navegando, você concorda com este monitoramento. Leia mais na nossa Política de Privacidade.

  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (7)
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (9)
  • TEXEIRA GÁS ultragaz
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (8)
  • Design sem nome – 2024-02-06T154143.111
  • Design sem nome – 2024-02-29T112346.494
  • globalway (1)
  • Banner-Camaqua_CC 970×90 (5)
  • Design sem nome – 2024-02-06T170807.664
  • Design sem nome – 2024-02-29T143231.335

Descartada emergência fitossanitária por causa de lagarta da soja


Por Redação Clic Camaquã Publicado 13/01/2014
Ouvir: 00:00

Sem dificuldade de controle, baixos níveis populacionais e com aval de instituições de pesquisa, ensino, extensão rural, entidades de produtores e órgãos oficiais de defesa agropecuária, a Secretaria da Agricultura, Pecuária e Agronegócio (Seapa) não encontrou razões para decretar situação de emergência fitossanitária depois do aparecimento da lagarta Helicoverpa armigera nas lavouras de soja. A posição também é compartilhada pela Superintendência do Ministério da Agricultura no RS. 

Se o cenário mudar no decorrer do desenvolvimento da cultura e exigir outro posicionamento, a Seapa tomará nova decisão técnica, sempre na busca de resguardar o produtor rural e garantir a produção, a renda, a saúde e o equilíbrio ambiental. 

Desde a primeira vez que a lagarta foi confirmada no Estado, fiscais da Seapa, junto ao Ministério da Agricultura (Mapa), Embrapa, Emater e outras instituições, trabalham no monitoramento, dispersão, gravidade de ataques e níveis de danos da praga. 

Por meio de armadilhas de feromônio espalhadas por diversas regiões, as equipes estão em alerta. Em contato com instituições e profissionais da área, fazem inspeções semanais. A utilização, quando necessária, de produtos registrados no Mapa tem apresentado nível satisfatório no combate à lagarta, favorecendo a manutenção de inimigos naturais.

Ao contrário de outros Estados que decretaram situação de emergência, o RS tem condições climáticas e de cultivo diferenciados, o que pode levar a um comportamento distinto da praga em relação a essas regiões. Nesses locais, há maior pânico por parte dos produtores. Preocupados, muitas vezes chegam a usar agrotóxicos indiscriminadamente, sem observar danos econômicos mostrados por pesquisas.


  • globalway (1)
  • Design sem nome – 2024-02-29T112346.494
  • Design sem nome – 2024-02-06T170807.664
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (9)
  • Banner-Camaqua_CC 970×90 (5)
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (7)
  • TEXEIRA GÁS ultragaz
  • Design sem nome – 2024-02-06T154143.111
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (8)
  • Design sem nome – 2024-02-29T143231.335