Usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nosso portal, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao continuar navegando, você concorda com este monitoramento. Leia mais na nossa Política de Privacidade.

  • Design sem nome – 2024-02-06T154143.111
  • globalway (1)
  • Banner-Camaqua_CC 970×90 (5)
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (8)
  • Design sem nome – 2024-02-06T170807.664
  • Design sem nome – 2024-02-29T112346.494
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (9)
  • TEXEIRA GÁS ultragaz
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (7)
  • Design sem nome – 2024-02-29T143231.335

Aprovada a criação do Instituto Gaúcho do Leite

IGL promete trabalhar pela organização, produtividade, qualidade, sanidade e renda para o setor


Por Redação Clic Camaquã Publicado 12/02/2014
Ouvir: 00:00

Os diálogos da Câmara Setorial do Leite, iniciados em 2011, pela Secretaria da Agricultura e o exemplo de países como Nova Zelândia e Uruguai transformaram o Rio Grande do Sul no primeiro Estado a criar um instituto que irá pensar e planejar o futuro da atividade leiteira. O Instituto Gaúcho do Leite (IGL), aprovado por unanimidade, nesta terça-feira (11), na sede da Ocergs, em Porto Alegre, por 47 entidades, trabalhará pela organização, produtividade, qualidade, sanidade e renda para o setor. 

O instituto terá inicialmente orçamento de R$ 2,4 milhões/ano. Por ser entidade sem fins lucrativos, ainda pode contar com créditos presumidos de R$ 6 milhões. “É um dia histórico para o Rio Grande do Sul. O leite é uma das cadeias com a qual mais me identifico de todas as que trabalhamos na Secretaria da Agricultura”, afirmou o titular da pasta, Luiz Fernando Mainardi. 

A integração entre as entidades – Fetag, Apil, Seapa, AGL, Federasul – elevará o debate. Temas como a contribuição e organização dos 120 mil produtores estarão na mesa do colegiado, assim como medidas de combate à adulteração, como a ocorrida em abril do ano passado e que colocou em risco a saúde da população. “Todos temos de ser parceiros. O instituto será o espaço de amparo e promoção do conjunto dos debates”, acrescentou Mainardi, eleito segundo secretário da primeira gestão, que terá mandato de três anos. 

Eleito para dirigir o primeiro mandato do IGL, Gilberto Piccinini, da cooperativa Cosuel, disse que o Estado “não é fraudador de leite. Temos uma história de dedicação e vontade de produzir. O desafio é fazer produtos diferenciados em qualidade”. Elton Weber, presidente da Fetag, será o vice-presidente do IGL. 

O presidente do Sistema Ocergs-Sescoop/RS, Vergilio Perius, foi o presidente da Assembleia de constituição do Instituto. Participaram ainda da mesa dos trabalhos o presidente da Fetag, Élton Weber; da Apil, Wlademir Dalbosco; da Câmara Temática do Leite da Ocergs e da Cosuel, Gilberto Piccinini; do secretário da Agricultura, Luiz Fernando Mainardi; do presidente da FecoAgro/RS, Rui Polidoro Pinto; do presidente da AGL, Ernesto Krug e do representante da Famurs, Mário Nascimento. 


  • Design sem nome – 2024-02-29T112346.494
  • Banner-Camaqua_CC 970×90 (5)
  • Design sem nome – 2024-02-06T170807.664
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (9)
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (8)
  • globalway (1)
  • Design sem nome – 2024-02-29T143231.335
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (7)
  • Design sem nome – 2024-02-06T154143.111
  • TEXEIRA GÁS ultragaz