Últimas Notícias

"A população fique tranquila, não tem problema de falta de água para Camaquã", afirma engenheiro da AUD

Éverton Fonseca, engenheiro da AUD, participou do programa Bom Dia Camaquã e falou sobre as barragens do Arroio Duro e Maria Ulguim
23/10/2020 - 10h:57min - Fonte: Com informações de AUD e Prefeitura de Camaquã

Nesta quarta-feira, 21 de outubro, o engenheiro agrônomo da Associação dos Usuários do Perímetro de Irrigação do Arroio Duro (AUD), Everton Fonseca, participou do programa Bom Dia Camaquã. No estúdio da ClicRádio, Fonseca falou sobre o funcionamento da barragem durante a pandemia, bem como os cuidados que a AUD vem tomando em relação às recomendações da Prefeitura e quanto ao possível impacto dos fenômenos La Niña e El Niño na região de Camaquã.

Quanto ao nível da Barragem, Everton destacou que mesmo que a cidade seja atingida por um período de estiagem, a população deve ficar tranquila: "A população fique tranquila, não tem problema de falta de água para a cidade, porque o consumo pra abastecimento público é muito baixo em relação ao consumo da irrigação", disse Everton, que ainda destacou que a administração da AUD é muito criteriosa quanto à preservação de água para o abastecimento público.

"Nós tivemos uma estiagem tremenda no ano passado, todo mundo dizia que iria faltar água, que a barragem estava baixa", exemplificou Everton, que ainda complementou: "Não houve nenhum momento de racionamento, nunca se pensou em racionamento. Coisa que no Estado do Rio Grande do Sul, se ouviu falar", finalizou.

Atualmente, a Barragem do Arroio Duro está em 69% de sua capacidade, com 51,70m de produndidade. A crista do vertedor fica em 54,88m, enquanto o nível mínimo é de 40,28m. De acordo com a AUD, a quantidade de água armazenada atualmente poderia oferecer autonomia de abastecimento da população por 7.866 dias.

A última atualização de dados foi feita na manhã desta sexta-feira, 23 de outubro, e está disponível no site da AUD.

 

Importância da Maria Ulguim

Questionado pelo apresentador Elias Bielaski sobre a importância da Barragem Maria Ulguim, Everton contextualizou falando também sobre a importância da Barragem Arroio Duro. Segundo ele, a principal barragem possui como função a contenção e represamento das águas da chuva em períodos de maior incidência pluvial e a liberação, principalmente para a agricultura, em períodos de seca.

A Barragem foi inaugurada no dia 21 de junho de 2016, em solenidade que contou com a presença de autoridades de toda a região. A obra contou com investimentos do Ministério da Integração Nacional no valor de R$ 8.869,521,01, com investimento da Prefeitura Municipal de Camaquã no valor de R$ 1.877,668,37 e contrapartida da AUD no valor de R$ 810.00,00, totalizando R$ 11.557,189,38. Confira o vídeo da inauguração trazido pela Hover Drones:

"A (Barragem) Maria Ulguim tem uma concepção diferente. Ela foi concebida para a contenção de cheias", descreveu. A Maria Ulguim é uma microbacia, formada pela Sanga Maria Ulguim, que tem influência direta na vazão do Arroio Duro. Ela foi represada para impedir cheias que atingiram os bairros mais baixos da cidade em outras oportunidades e tem funcionamento semelhante ao da Barragem do Arroio Duro, represando água durante as cheias e liberando as mesmas em outro momento, minimizando o extravasamento do Arroio Duro, fato que causou diversas cheias ao longo da história de Camaquã.

Ele ainda destacou que a Barragem Maria Ulguim só é eficiente quando trabalha em conjunto com a Barragem do Arroio Duro. "A gente tem que trabalhar para ter esse sincronismo, pra tirar o maior potencial", destacou Fonseca sobre ambas as barragens. 

Ele também abordou o processo de elaboração e construção da Barragem Maria Ulguim, inaugurada em 2016, após estudo contratado pela AUD para avaliar formas de se combater possíveis enchentes em Camaquã. Além da construção da estrutura, também foram feitos desassoreamentos e alteamentos nos taludes do Arroio no perímetro urbano de Camaquã, além de constatada a necessidade de reformas na 'ponte do CTG Camaquã', no bairro Gaúcho, que possui vazão muito abaixo da necessária.

Dados Técnicos da Barragem Maria Ulguim:

Finalidade Proteção contra Cheias
Cota do Comprimento 63,36 m
Largura do Coroamento 6 m
Área da Bacia 15,57 km²
Capacidade do Reservatório 4.900.000 m³
Volume Destinado a atenuação de Chuvas 600.000 m³
Tipo do Extravasor Morning Glory
Vazão Ecológica Extravasor 0,025 m³/s
Comprimento do Coroamento 420 m

Acompanhe a entrevista completa a partir de 25 minutos de transmissão:

 

História da Barragem Maria Ulguim

No final do ano de 1995, a cidade de Camaquã, foi assolada por violenta precipitação pluviométrica. Em menos de 6 horas choveu 307,5 mm, causando inundações de grandes proporções.

Em 1997, a AUD contratou uma empresa de consultoria especializada para realizar um estudo hidrológico da bacia vertente e ajustar as regras de operação da Barragem do Arroio Duro. Entre as recomendações que o estudo apontou, está a construção de uma barragem a montante da cidade e a jusante da Barragem do Arroio Duro, com o objetivo de armazenar as águas das chuvas quando o reservatório estiver cheio, para escoar a vazão das bacias hidrográficas.

Por parâmetros técnicos, foi eleita a bacia da Sanga Maria Ulguim, contribuinte da margem esquerda do Arroio Duro para implantação da nova Barragem, denominada Barragem Maria Ulguim.

Em 2006, a obra até então de competência do Governo Federal e AUD, passou a ser atribuição da Prefeitura em parceria com a AUD, quando o Município contratou empresas especializadas para elaboração de projetos e execução da obra.

 

A Barragem do Arroio Duro

A Barragem do Arroio Duro, foi inaugurada em fevereiro de 1967 pelo extinto DNOS, tem como objetivo regularizar a vazão do Arroio, drenar o Banhado do Colégio e áreas adjacentes eliminando todos os pequenos açudes integrando essas áreas ao processo produtivo. As águas para a irrigação são armazenadas durante o inverno e distribuídas no período da safra. Em síntese este processo constitui o “Projeto de Irrigação do Arroio Duro”, administrado pela AUD, a partir de 1992 com a extinção do DNOS.

Capacidade do Reservatório 170.000.000 m³
Altura máxima 20 m
Comprimento do maciço 1.450 m
Bacia de captação 290 km²
Diâmetro do túnel adutor 1,80 m
Comprimento do túnel adutor 140 m
Descarga máxima 28m³/seg
Vazão máxima do vertedor 370 m³/seg

Um dos destaques foi a fala relacionado à abertura da Barragem do Arroio Duro para visitação. Ele informou que, de qualquer forma, a abertura do espaço não deve ocorrer até o final de novembro, pelo menos. A decisão foi tomada pela AUD, seguindo recomendação dos órgãos públicos e de saúde para combater a formação de qualquer tipo de aglomeração durante a pandemia de Covid-19.

"Infelizmente, é uma ação antipática, assim como várias ações que o Poder Público tem que tomar", ressaltou o agrônomo. "Mesmo que esse decreto seja revogado, nós vamos tomar o cuidado", destacou Fonseca, que lembrou da dificuldade de fiscalizar a totalidade do parque da barragem em toda sua extensão. 

Ele destacou que por ser muito grande, o parque tem diversas outras entradas difíceis de serem fiscalizadas, motivo pelos quais os órgãos de segurança e policiamento possuem acesso à Barragem. Everton ressaltou que mesmo que novos decretos permitam o acesso, a AUD manterá o parque fechado até o final de novembro porque assim que liberado, é natural que muitas pessoas queiram frequentar o local e formem aglomerações.

deixe seu comentário