Últimas Notícias

#ClicNoEspaço: Internautas do Clic registram passagem da Estação Espacial Internacional

Kleber Fernandes da Costa, compartilhou seus registros e paixão em observar o céu; em Camaquã, a internauta Nely Vera Reinkeque divulgou o registro
Por: Sabrina Borges | Publicado: 13/07/2020 às 00:00 | Alterado: 22/04/2021 às 11:06 | Fonte: Colaboração Elias Bielaski
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Internautas do mundo inteiro tem registrado a passagem da International Space Station. Nesta sexta-feira, dia 10 de julho a estação pode ser observada no céu de Camaquã, Rio Grande do Sul. O registro foi feito pela internauta Nely Vera Lauxe Reinke às 18h05min.

Não foi apenas a internauta Nely que compartilhou o seu registro, o internauta Kleber Fernandes Finelli da Costa, de Atibaia, São Paulo, também enviou para o Clic Camaquã as fotos e vídeos que registrou da estação.

Mas, para onde devo olhar para ver a estação? É fácil! Quem tem celular do sistema operacional Android precisa baixar o aplicativo ISS Detector e habilitar o GPS do aparelho. Daí, a própria ferramenta vai, a partir de uma bússola, orientar o usuário. No caso de Venda Nova, a aparição começa no oeste e termina no norte.

Quem tem dispositivos do sistema operacional iOS, como os iPhones, deve baixar o ISS Spotter, que também detecta a aparição da estação de acordo com a localização do usuário.

“A estação é observada como se fosse uma estrela, movendo com relativa rapidez. Há dias que fica muito bom para observar, mas há dias que não. O brilho da estação a olho nu depende da magnitude. Quando ela é menor que 1, tende a ser bastante brilhante e fica como o planeta Júpiter no céu”, explica o astrônomo e professor aposentado Bernardo Riedel.

Conseguiu fazer o registro? Compartilhe suas fotos pelo número (51) 99200-4902 e iremos publicar nas redes sociais do Clic! Mantenha o contato salvo para receber os destaques do Clic. Leia mais em https://bit.ly/3cEG0ww.

 

Internauta relata paixão pelo espaço

Segundo o relato do apaixonado de Klaber, observar o céu e sua imensidão cheia de coisas a serem descobertas é fascinante. O internauta contou que esse interesse surgiu depois passagem do Cometa Halley em 1986, de lá para cá, ele nunca mais deixou de observar o céu. 

E como não poderia ser diferente, esse olhar curioso é passado às filhas. Klaber tem duas meninas, de 9 e 4 anos. As crianças seguem os passos do pai, cheias de interesse em desbravar os mistérios do espaço. Giullia, a filha de 9 anos de Klaber, sonha em ser astronauta. Com toda certeza, se depender deste pai, incentivo para a menina alcançar o objetivo não vai faltar. 

Confira o relato do internauta:

“Hoje estou com 39 anos e sempre me interessei pelos, astros, estrelas, cometas e tudo que se pode observar no céu. O que marcou minha curiosidade e alegria em observar o céu, acredite, foi a passagem do Cometa Halley em 1986.

Tento passar isso para minhas duas filhas, a Giullia de 9 anos e a Isabella de 4 aninhos, que assim como a irmã é curiosa em aprender sobre a natureza, ciências e tecnologia.

Usamos o App Iss Detector para observar a aproximação da ISS, e o App Skysafari para observar os planetas, cometas e chuvas de meteoro. Ainda sou amador, ainda não temos um telescópio nem nada, mas temos avistado tudo o que é observável a olho nú. Logo mais queremos adquirir um telescópio para melhorar a observação e o conhecimento.

Minha filha mais velha, a Giullia, sempre fala: ‘Pai, o que tenho que fazer para poder ir para o espaço e ser astronauta?’. Eu sempre respondo, ‘sonhar e estudar muito. Basta acreditar, que você é capaz’.”

Kleber Fernandes Finelli da Costa, Atibaia -SP

 Whats-App-Image-2020-07-13-at-14-53-48

Kleber Fernandes Finelli da Costa, Atibaia -SP

Whats-App-Image-2020-07-13-at-14-58-15

Klaber e filha obserando a ISS, chuva de meteoros e o nascer do sol

A Estação Espacial Internacional (EEI) (em inglês: International Space Station, ISS) é um laboratório espacial completamente concluído, cuja montagem em órbita começou em 1998 e terminou oficialmente em 8 de julho de 2011 na missão STS-135, com o ônibus espacialAtlantis.

A estação encontra-se em uma órbita baixa de 408 x 418 km, que possibilita ser vista da Terra a olho nu, e viaja a uma velocidade média de 27 700 km/h, completando 15,70 órbitas por dia.

deixe seu comentário