Educação e Cultura

"A casa da última rua": documentário mostra relatos de aparições sobrenaturais em Tapes

O vídeo foi feito por estudantes através de uma oficina prática de AudioVisual
12/09/2018 - 16h:11min - Fonte: Luísa Flores/Clic Camaquã

A Casa de Cultura Ruy de Quadros, em Tapes, se faz presente num prédio antigo com mais de 100 anos desde sua construção. Já serviu de sede para hotéis, depósitos, restaurantes e prostíbulo. Além de ser um local conhecido por muitos mistérios.

O documentário “A casa da última rua”, produzido pelo Coletivo Catarse e o Clube da Sombra, através de uma oficina prática de AudioVisual ministrada pela Produtora AudioVisual Têmis Nicolaidis, reúne declarações de pessoas que conhecem a história do local, e as lendas que o cercam.

O professor de música Claiton Scouto conta que, antigamente, no terreno que abrange a casa de cultura, existia um galpão de madeira usado como depósito, onde ficavam os escravos, além de especiarias e itens de alimentação. Atrás do local havia uma câmara fria utilizada, supostamente para guardar gelo. Tempos depois a polícia determinou que o local fosse lacrado, alegando ser inadequado. Até hoje não se sabe o motivo exato dessa determinação.

Anos depois, o lugar se tornou uma escola e, posteriormente, um albergue, época em que houve muitas mortes na casa.

“Desde que eu cheguei, já senti uma energia diferente aqui.” relata o professor. Ele afirma já ter ouvido passos, sons musicais, barulhos de corrente, objetos se movendo sozinhos e até alguém chamando seu nome.

A diretora da casa, Neila Santos Roth, diz que já não sabe mais o que é de fato real, ou fruto de sua imaginação. “Existe uma cama muito antiga, que sempre deixamos coberta por uma colcha. No outro dia, ela aparece desfeita.” conta ela.

Neila diz que não se pode afirmar ao pé da letra que os acontecimentos se tratam de eventos sobrenaturais, considerando que o prédio é muito antigo e a causa dos estranhos barulhos pode ser a presença de ratos.

O documentário foi realizado pela Prefeitura Municipal de Tapes e a Secretaria de Educação e Cultura, e conta com o apoio da EMEF Martha Pereira Barbosa e Lagoa TV.

Confira o vídeo:

deixe seu comentário