Últimas Notícias

Neste sábado é celebrado o Dia Nacional e Mundial de Combate ao Trabalho Infantil

As psicóloga Elisete Jacobsen e Taiane de Ávila abordaram o assunto e ressaltaram a importância do momento que ocorre neste dia 12 de junho; saiba mais
Por: Sabrina Borges | Publicado: 11/06/2021 às 14:30 | Alterado: 15/06/2021 às 02:35
Crianças brincando / Foto: Ilustração/ Unsplash
Crianças brincando / Foto: Ilustração/ Unsplash

Na manhã desta sexta-feira, 11 de junho, o programa Bom Dia Camaquã recebeu a psicóloga do Centro de Referência de Assistência Social (CREAS) Elisete Jacobsen e a Taiane de Ávila, psicóloga no Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CRAS) do bairro Getúlio Vargas.  As convidadas abordaram um tema bastante importante, o trabalho infantil. 

Neste dia 12 de junho é o Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil, e é um momento em que se tenta sensibilizar, fiscalizar e incentivar denuncias em relação a exploração de crianças. As convidadas lembraram como a data foi instituída e explicaram o que é entendido como violação do direito da criança e categorizado como trabalho infantil. 

(Elisete Jacobsen na ClicRádio)

Elisete explicou que toda a forma de trabalho desenvolvida por crianças e adolescentes, abaixo da idade mínima legal, permitida pela Constituição de cada país, se enquadra como exploração. No Brasil, de 0 a 14 anos de idade, o trabalho não é permitido sob qualquer condição.

A partir dos 14 anos o adolescente pode trabalhar como aprendiz e dos 16 aos 18 anos, é permitido o trabalho, desde que não ocorra no período das 22h às 5h. Além disso, outros pontos devem ser considerados para essa faixa etária, em relação ao perigo, insalubridade e outros fatores que podem ser conferidos no Decreto 6.481 de 12 de junho de 2008. 

Crianças e adolescentes até 14 anos podem fazer atividades em casa, conforme a capacidade de cada idade. Essas atividades não devem prejudicar a saúde física e mental das crianças. 

(Taiane de Ávila na ClicRádio)

Para ajudar a comunidade a entender que tipo de tarefas as crianças e adolescentes de até 14 anos podem realizar, as psicólogas trouxeram uma tabela. No quadro, cada faixa etária é sinalizada com exemplos de atividades que podem ser realizadas pelas crianças, ajudando os pais e responsáveis a definirem coisas que os filhos podem realizar em casa. Confira:

As psicólogas evidenciaram, que atribuir tarefas para as crianças e adolescentes colabora no desenvolvimento deles e faz com que entendam que eles têm responsabilidades. E se as tarefas atribuídas da forma correta colaboram para o desenvolvimento das crianças, a exploração pode resultar em problemas sérios.

Dependendo do tipo de trabalho, pode ocasionar complicações físicas no desenvolvimento das crianças e adolescentes, como deformações nos ossos, problemas pulmonares, dores de cabeça, tontura e cansaço extremo. Além disso, problemas psicológicos também podem surgir como insegurança, irritação, falta de autoestima, depressão e insônia. 

É muito importante que a comunidade fique atenta a essa realidade e tenha sensibilidade para pesar o que o trabalho infantil pode resultar no desenvolvimento das crianças e adolescentes. Problemas como a evasão escolar, por exemplo, são comuns. Muitas crianças deixam de estudar para trabalhar, ou estão cansadas demais para desenvolver as tarefas da escola. Sabemos que a educação é o caminho ideal para a construção de qualquer futuro promissor.

Se você tem conhecimento de crianças ou adolescentes que estão sendo exploradas com o trabalho infantil, deve denunciar e não compactuar com a situação. Entre em contato através do Disque Denúncia 100, WWW.mpt.mp.br, Conselho Tutelar 3671 0126 ou 995231981. 

Acompanhe a participação das psicólogas no programa Bom Dia Camaquã, a partir dos 30 minutos de transmissão: 

deixe seu comentário