Últimas Notícias

Municípios da região estudam implantação de Casa de Acolhimento à Mulher

Iniciativa dos municípios do Consórcio Centro-Sul visa acolher vítimas de violência doméstica
Publicado: 27/10/2021 às 14:20 | Alterado: 02/11/2021 às 20:40 | Fonte: Assessoria de Imprensa e Comunicação da Prefeitura Municipal de Camaquã
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Em reunião realizada na semana que passou, foi aprovado por unanimidade pelo Conselho de Prefeitos do Consórcio Intermunicipal Centro-Sul e seus representantes, o início dos estudos para implementação de uma Casa de Acolhimento à Mulher, em âmbito regional, a fim de atender às mulheres vítimas de violência doméstica na região.

Em atenção ao aumento de casos de violência doméstica no Brasil e no Mundo, e considerando o fato de não haver a padronização de atendimento aos casos, na Região Centro-Sul, o Consórcio Centro-Sul, na figura do seu Presidente e prefeito de Camaquã Ivo de Lima Ferreira e da Diretora Executiva Fabíola Coelho, levou a pauta "estudos para criação de projeto de abertura de casa de acolhimento à mulher vítima de violência doméstica" à Assembleia de Prefeitos, para votação.

Hoje, cada município da região precisa definir e aplicar seus critérios individuais de atendimento às vítimas de violência doméstica, através de suas secretarias de assistência e desenvolvimento social ou órgãos de atenção especializada à mulher, por exemplo. Com a proposta, os municípios consorciados firmariam parceria dedicada a este tipo de atendimento, tornando-o mais humano e organizado, inovando na forma de auxílio e proteção a mulheres em situação de vulnerabilidade.

A matéria foi apresentada e aprovada por unanimidade junto aos Prefeitos e seus representantes, ao passo que já nesta semana iniciam os estudos para implementação do serviço, através do Consórcio e Municípios Consorciados, a fim de aprovar o projeto no ano de 2022.

O Consórcio reforça seu interesse e disponibilidade em cada vez mais ser parte atuante no desenvolvimento de políticas públicas regionais, sempre atuando em convergência aos interesses dos Consorciados.

deixe seu comentário