Últimas Notícias

"Eu amo o que eu faço", conta caminhoneiro mais antigo na ativa em Camaquã

Em alusão ao Dia do Motorista, reportagem entrevistou o Seu Santigo, há 50 anos na estrada e ainda na ativa
Por: Elias Bielaski | Publicado: 25/07/2021 às 08:50 | Alterado: 01/08/2021 às 06:55
Seu Santigo está há 50 anos na estrada e ainda na ativa / Foto: Igor Garcia
Seu Santigo está há 50 anos na estrada e ainda na ativa / Foto: Igor Garcia

Neste domingo, dia 25 de julho, é comemorado o Dia do Colono e do Motorista, dois setores fundamentais para o desenvolvimento do país. E para demonstrar a importância destes profissionais, o Clic Camaquã realizou uma série de reportagens especiais: “A união que move o nosso país”.

Patrocínio: AFUBRA, CFC CAMAQUENSE, PRIORIDADE 10 e FORTRAL NEW HOLLAND

A série de reportagens vai contar histórias que você precisa conhecer. 

O dia 25 de julho é tradicionalmente comemorado o Dia do Motorista, assim como uma data religiosa de extrema importância para os caminhoneiros: o Dia de São Cristóvão. 

Representando a classe, o repórter Igor Garcia entrevistou o seu Santiago, caminhoneiro de 74 anos que está nas estradas há 50 anos. E ele segue na ativa!

Já acostumado com o trecho entre Camaquã e Rio de Janeiro, o caminhoneiro mais tradicional na ativa nasceu em São Borja. Ele começou a viajar em 1971 e acabou sendo adotado por Camaquã.

Nas estradas, ele dirige um Volvo NH 380, utilizado para acompanhar nas estradas as transformações da profissão, do cotidiano e da vida. 

"A palavra mais forte que existe é a fé"

Na reportagem, ele falou sobre a importância na fé em Deus, que ajuda a lhe manter seguro, além do apreço pela vida desenvolvido ao longo dos anos.

Assista a reportagem completa:

Conheça outras histórias da série “A união que move o nosso país”:

A casa das 4 mulheres
Morangos da Rosa

Dia de São Cristóvão

No dia 25 de julho, se comemora o dia de São Cristóvão, o santo padroeiro dos caminhoneiros. Em relação à lembrança do santo, trata-se de uma comemoração bastante antiga. A origem da data especial vem do século XV. Na ocasião da instituição, a base era a história de São Cristóvão. 

Ao que tudo indica, antes de ser santo, Cristóvão era um homem forte que desejava se tornar o homem mais poderoso do mundo. No meio da sua caminhada, ele teria conhecido a Cristo e o reconhecido como homem mais poderoso do mundo. A partir daí, ao invés de sê-lo, Cristóvão decidiu segui-lo.

Em determinado momento de sua vida, São Cristóvão carregou um menino no colo durante uma travessia. Entretanto, segundo sua percepção, o menino ficava mais pesado a cada passo que dava. Assim, a sua sensação era de estar carregando o mundo nas costas. Após o desabafo do santo, o menino teria dito que ele não estaria carregando o mundo nas costas, mas o Criador dele, pois se tratava de Jesus.

O conceito, então, de carregar o mundo trouxe para o mundo dos caminhoneiros o apadrinhamento do santo como padroeiro. Não poderia ser outro, já que o modal rodoviário brasileiro realmente é um canal que alimenta o mundo. Assim, nesse dia, são feitas homenagens aos condutores de caminhões, fazendo do dia 25 de julho, um dia do caminhoneiro.

A referência é tão forte para os brasileiros que se materializa em formato de igreja. Às margens da BR-116 está estabelecida a igreja de São Cristóvão. Ela possui formato de caminhão e é frequentemente visitada por motoristas e amantes das estradas.


deixe seu comentário