Tecnologia

iFood é hackeado e nomes de restaurantes são utilizados para ataques políticos

Após invasão, funcionário da empresa alterou nomes de diversos restaurantes para propaganda em favor de Bolsonaro e contra o ex-presidente Lula
Por: Elias Bielaski | Publicado: 03/11/2021 às 09:04 | Alterado: 10/11/2021 às 21:25 | Fonte: TecMundo
Foto: iFood / Divulgação
Foto: iFood / Divulgação

Na noite deste feriado de Finados, dia 2 de novembro, o aplicativo iFood foi alvo de um ataque hacker. O iFood é uma empresa brasileira fundada em 2011, atuante no ramo de entrega de comida pela internet, sendo líder no setor na América Latina, com presença na Argentina, no México e na Colômbia.

Receba as notícias do Clic pelo WhatsApp <

Diversos restaurantes que estão cadastrados no sistema tiveram seus nomes alterados para ataques e propagandas 'eleitorais'.

Os nomes foram alterados por mensagens de apoio ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido), de ataque ao ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva e contrárias à vacina contra a Covid-19.

Em nota, o iFood disse que as mudanças atingiram 6% dos estabelecimentos cadastrados na plataforma e foram feitas indevidamente por meio de conta de funcionário de prestadora de serviço.

Segundo a empresa, a conta do funcionário "tinha permissão para ajustar informações cadastrais dos restaurantes na plataforma, e que o fez de forma indevida."

Inscreva-se no canal do Clic no YouTube <

Dentre as mensagens, as mais utilizadas foram "Lula Ladrão", "Bolsonaro 2022" e "Vacina mata".

Restaurantes têm nomes alterados no iFood por mensagens de apoio a Bolsonaro e contra vacina; empresa afirma ainda que os nomes corretos 'estão sendo restabelecidos' — Foto: Reprodução

A empresa afirma ainda que os nomes corretos "estão sendo restabelecidos" e que não houve vazamento de dados de clientes ou entregadores.

Baixe agora o aplicativo da ClicRádio <

"Eles não são armazenados nos bancos de dados do iFood, ficando gravados apenas nos dispositivos dos próprios usuários, não tendo havido comprometimento de dados de cartões de crédito", informou a empresa, garantindo que não houve vazamentos envolvendo meios de pagamento utilizados pelos clientes.
deixe seu comentário