Política

Projeto quer acabar com acúmulo de fios em postes de Camaquã

Proposta do vereador Ilson Meireles (PP) obriga empresas a retirarem dos postes a fiação excedente e sem uso
Por: Elias Bielaski | Publicado: 23/11/2021 às 10:41 | Alterado: 30/11/2021 às 01:04
Foto: Elias Bielaski / Clic Camaquã
Foto: Elias Bielaski / Clic Camaquã

Você já notou que, a cada dia, aumenta o número de fios nos postes, principalmente do Centro de Camaquã? Com cada vez mais empresas de internet, telefonia e telecomunicações, o antigo problema se agrava a cada dia.

Receba as notícias do Clic pelo WhatsApp <

O estúdio da ClicRádio, inclusive, é um dos espaços prejudicados pelo excesso de fios nos postes do Centro da cidade, como é possível notar na imagem que ilustra esta matéria.

Na 43º Sessão Ordinária de 2021 na Câmara de Vereadores, uma proposta que visa combater esse problema começou a ser discutida.

Trata-se do Projeto de Lei Legislativo nº 16 de 2021, de autoria do(a) vereador(a) Ilson Meireles.

O projeto obriga as empresas e as concessionárias que fornecem energia elétrica, telefonia fixa, banda larga, televisão a cabo, ou outros serviços, por meio de rede aérea(fiação), a retirada dos postes a fiação excedente.

Inscreva-se no canal do Clic no YouTube <

O foco é a retirada dos fios sem uso que estejam instalados, além de identificar os fios existentes e tomar as providências pertinentes a cada situação.

Assista a entrevista exclusiva:

Baixe agora o aplicativo da ClicRádio <

Embora em menores proporções, o problema enfrentado em Camaquã também é tema de debate em cidades de todo o Brasil. 

No Rio Grande do Sul, as prefeituras de Guaíba e Porto Alegre manifestaram à Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE), a necessidade de medidas para o combate ao crescente número de "emaranhados" de fios. 

De acordo com matéria publicada pelo jornalista Marcelo Gonzatto, da GZH, em toda a área de concessão da CEEE, 17% das ocorrências de interrupção de energia, neste ano, foram provocadas exclusivamente pela exposição da rede à vegetação, por exemplo.

Por este motivo, a partir de outubro, terá início a etapa de remoção de fiação excedente por meio de um projeto da CEEE Equatorial que prevê beneficiar uma via da Capital Gaúcha a cada mês.

Vem aí mais um Mega Feirão do Clic <

Ainda de acordo com o jornalista, a ideia é estender a iniciativa para outras cidades atendidas pela CEEE Equatorial a partir do mês que vem. 

Quando se olha para um poste, no máximo sete fios são de energia: três de média tensão localizados no nível mais alto, e até quatro mais abaixo (que podem aparecer enrolados como um só). Todo o restante é para outras finalidades. 

A cidade de Porto Alegre já estuda a exigência de fiação subterrânea (enterrada) para novos empreendimentos. Clique aqui e leia mais.

A CEEE Equatorial informa que implantar uma rede subterrânea custa entre 11 e 12 vezes mais do que uma aérea. Conforme reportagem publicada por GZH em janeiro do ano passado, o valor necessário para colocar um quilômetro de cabo embaixo do chão costuma sair por cerca de R$ 10 milhões. 

Clique aqui e vote no Prêmio Prime 2022 <


Além da questão estética, o vereador defende que a fiscalização da Prefeitura de Camaquã notifique as empresas que 'alugam' o uso dos postes e não efetuam o pagamento, operando de forma ilegal.

Ele também ressalta a falta de segurança que a situação traz, tendo em vista que a falta de cuidado já causou até acidente de trânsito em Camaquã.

Promoção de Natal do Clic sorteia R$1.100 <

deixe seu comentário