Usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nosso portal, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao continuar navegando, você concorda com este monitoramento. Leia mais na nossa Política de Privacidade.

  • clarão—970×90
  • BANNER UNICRED 2
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (7)
  • Banner-Camaqua_CC 970×90
  • 970×90 (3)
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (9)
  • Design sem nome – 2024-02-29T112346.494
  • globalway (1)
  • Design sem nome – 2024-02-06T154143.111
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (8)
  • Design sem nome – 2024-02-29T143231.335

“Ninguém Sai Vivo Daqui” estreia nesta quinta-feira nos cinemas

O drama ficcional é inspirado no livro-reportagem Holocausto Brasileiro escrito pela jornalista Daniela Arbex


Por Kathrein Silva Publicado 10/07/2024
Ouvir: 00:00
PNG – 2024-07-10T134526.831
Foto: Gullane/ Divulgação

O drama ficcional “Ninguém Sai Vivo Daqui“, inspirado no livro-reportagem Holocausto Brasileiro escrito pela jornalista Daniela Arbex estreia nesta quinta-feira (11) nos cinemas. A obra literária já inspirou também um documentário e uma série.

A longa-metragem é dirigida por André Ristum e é uma adaptação cinematográfica dos 10 episódios da série Colônia (2021). O filme tem cenas preto e branco, simbolizando a “falta de cor” da vida dos residentes da instituição.

A produção da série e do filme dão enfoque à história de Elisa, interpretada pela atriz Fernanda Marques, uma jovem que engravida antes do casamento e é internada à força em um manicômio no interior de Minas Gerais.

Baseado em fatos reais

A trama de Elisa é ficcional, mas baseada em fatos reais ocorridos durante os anos de 1903 e 1980, nos quais milhares de pessoas foram internadas à força, com aval do Estado e de familiares, no Centro Psiquiátrico Hospitalar de Barbacena, em Minas Gerais, conhecida como Colônia.

A história da instituição é muitas vezes comparada a um genocídio (por isso o título do livro de Daniela Arbex, Holocausto Brasileiro), uma vez que mais de 60 mil pessoas morreram no local vítimas de métodos inadequados de tratamento psíquico, como terapias de choque e abusos físicos e psicológicos. 


  • Design sem nome – 2024-02-06T154143.111
  • 970×90 (3)
  • Design sem nome – 2024-02-29T112346.494
  • globalway (1)
  • BANNER UNICRED 2
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (7)
  • Design sem nome – 2024-02-29T143231.335
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (8)
  • clarão—970×90
  • Banner-Camaqua_CC 970×90
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (9)