Usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nosso portal, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao continuar navegando, você concorda com este monitoramento. Leia mais na nossa Política de Privacidade.

  • Banner-Camaqua_CC 970×90
  • globalway (1)
  • Design sem nome – 2024-02-29T143231.335
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (7)
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (9)
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (8)
  • clarão—970×90
  • Design sem nome – 2024-02-06T154143.111
  • 970×90 (3)
  • Design sem nome – 2024-02-29T112346.494

Obras de duplicação da BR-116 entre Guaíba e Pelotas chega à 10 anos sem previsão de fim

DNIT afirma que são necessários pelo menos R$ 500 milhões para concluir obras. Rodovia liga Região Metropolitana de Porto Alegre e Sul do estado, com importância no transporte de cargas do Porto de Rio Grande


Por Celiomar Garcia Publicado 20/11/2022
Ouvir: 00:00

Iniciadas há 10 anos, as obras de duplicação da BR-116 entre Guaíba, na Região Metropolitana de Porto Alegre, e Pelotas, no Sul do estado, seguem inacabadas e sem previsão de encerramento. Dos 211,2 km de rodovia, 147,8 km foram entregues. Isso significa que 30% dos trabalhos ainda estão pendentes.

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) afirma que são necessários pelo menos R$ 500 milhões para concluir as obras. Em 2012, quando lançada, a duplicação estimava investimentos de R$ 868 milhões, sendo que, desde então, o governo federal já aplicou cerca de R$ 1 bilhão na rodovia.

A estrada é a principal ligação entre a Região Metropolitana e o Sul do estado, com importante papel no transporte de cargas do Porto de Rio Grande.

“Enquanto nós não resolvermos esta BR, a região não se desenvolve como deveria”, diz Fabrício Ibarrem, coordenador Aliança Pelotas.

O DNIT diz que as obras foram dividias em 10 lotes. Dois deles (2 e 4) foram totalmente concluídos. Os blocos 1, 3, 5 e 7 têm obras em andamento. Já os trechos 6, 8 e 9 estão paralisados. Por fim, o lote 10 está em desenvolvimento pela empresa contratada.

Nos trechos já duplicados, os motoristas elogiam as condições de trânsito. Mas é só andar alguns quilômetros, e a realidade muda. As placas voltam a indicar “pista simples”.

“A parte duplicada nos dá mais segurança. A parte simples se torna, além de ser mais demorado, questão de caminhões e tudo mais, é mais arriscado”, diz o vendedor Leonardo Moreira.

As obras deveriam ter sido entregues em 2014. Em 2019, militares passaram a atuar na duplicação.

Fonte: G1 RS


  • globalway (1)
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (7)
  • 970×90 (3)
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (9)
  • Design sem nome – 2024-02-29T112346.494
  • clarão—970×90
  • Banner-Camaqua_CC 970×90
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (8)
  • Design sem nome – 2024-02-06T154143.111
  • Design sem nome – 2024-02-29T143231.335