Usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nosso portal, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao continuar navegando, você concorda com este monitoramento. Leia mais na nossa Política de Privacidade.

  • Design sem nome – 2024-02-06T154143.111
  • Design sem nome – 2024-02-29T143231.335
  • globalway (1)
  • BANNER UNICRED 2
  • Design sem nome – 2024-02-29T112346.494
  • Banner-Camaqua_CC 970×90
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (8)
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (9)
  • clarão—970×90
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (7)
  • 970×90 (3)

Crise no Hospital de Camaquã será debatida por Frente da Assembleia

A situação do HNSA foi apresentada a Luciana Genro em uma reunião na sede do Sindisaúde-RS nesta segunda-feira (28/11)


Por Redação Clic Camaquã Publicado 29/11/2022
Ouvir: 00:00
Foto: Arquivo/Clic Camaquã

A crise vivida pelo Hospital Nossa Senhora Aparecida (HNSA), de Camaquã, será tema de uma reunião pública promovida pela Frente Parlamentar em Defesa dos Trabalhadores da Saúde, coordenada pela deputada estadual Luciana Genro (PSOL) na Assembleia Legislativa. A instituição, único hospital da cidade, acumula dívidas milionárias e vem demitindo os funcionários com o pagamento parcelado das rescisões.

A situação do HNSA foi apresentada a Luciana Genro em uma reunião na sede do Sindisaúde-RS nesta segunda-feira (28/11).

Reunião definiu que crise no Hospital de Camaquã será debatida por Frente Parlamentar. Foto: Divulgação

Diante dessa situação, Luciana Genro irá mobilizar a Frente Parlamentar para que possa ocorrer uma reunião na própria cidade de Camaquã sobre o tema, convidando a Secretaria Estadual de Saúde, a prefeitura, a Câmara Municipal, o Sindisaúde-RS, a diretoria do HNSA e as autoridades dos demais municípios atendidos pela instituição.

“Não podemos permitir que o único hospital de Camaquã permaneça nessa situação de crise, que prejudica tanto seus trabalhadores, que vem sendo demitidos e estão tendo seus direitos desrespeitados, quanto a própria população que precisa de um atendimento de qualidade”, disse a deputada.

O Hospital Nossa Senhora Aparecida atende majoritariamente pelo SUS, com 70% de seus procedimentos sendo feitos pela rede pública e 30% por convênios particulares – dentre eles, o IPE Saúde, que também possui dívidas com o hospital e representa um grande número de atendimentos por ser o plano de saúde dos servidores municipais de Camaquã. 

Por: Samir Oliveira / Assembleia Legislativa


  • Design sem nome – 2024-02-06T154143.111
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (7)
  • Banner-Camaqua_CC 970×90
  • BANNER UNICRED 2
  • clarão—970×90
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (8)
  • globalway (1)
  • Design sem nome – 2024-02-29T112346.494
  • Design sem nome – 2024-02-29T143231.335
  • 970×90 (3)
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (9)