Usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nosso portal, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao continuar navegando, você concorda com este monitoramento. Leia mais na nossa Política de Privacidade.

  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (7)
  • BANNER UNICRED 2
  • Design sem nome – 2024-02-06T154143.111
  • Design sem nome – 2024-02-29T112346.494
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (9)
  • clarão—970×90
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (8)
  • 970×90 (3)
  • globalway (1)
  • Banner-Camaqua_CC 970×90
  • Design sem nome – 2024-02-29T143231.335

Polícia Civil investiga esquema de corrupção em licitações em São Lourenço do Sul

Os alvos são sedes de empresas e residências de empresários suspeitos de envolvimento em corrupção na compra de alimentos para casas prisionais


Por Redação Clic Camaquã Publicado 01/12/2022
Ouvir: 00:00
Foto: Joellen Soares / RBS TV

Na manhã desta quinta-feira (1º) a Polícia Civil cumpre cinco mandados de busca e apreensão em São Lourenço do Sul. Ação é referente a uma investigação que apura um esquema de corrupção em licitações para compra de alimentos fornecidos a casas prisionais no Rio Grande do Sul.

De acordo com o delegado Otto Ritter, do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), os alvos são sedes de empresas e residências de empresários suspeitos de envolvimento no crime. Houve a apreensão de documentos, celulares, computadores e a prisão de uma pessoa por porte ilegal de arma de fogo.

“Empresas teriam agido mediante conluio, no intuito de formar ‘grupo econômico’ voltado a fraudar o caráter competitivo em pelo menos cinco pregões eletrônicos e manter, com isso, o maior número de objetos contratados junto ao mesmo núcleo empresarial”, explica Ritter.

Foto: Joellen Soares/RBS TV

Na prática, proprietários de duas empresas combinavam previamente valores a serem oferecidos na concorrência pública do serviço, o que configura fraude. Além disso, os valores eram sempre abaixo do de mercado, o que garantia a vitória e impedia contratação de outras empresas. Apesar disso, o esquema causou prejuízo aos cofres públicos – o valor não foi divulgado pela polícia.

A suspeita recai sobre cinco licitações que ocorreram em 2019 e outras quatro a partir desse ano. O esquema foi descoberto pela Secretaria de Estado de Planejamento, Governança e Gestão.

*Fonte: g1 RS


  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (8)
  • Design sem nome – 2024-02-06T154143.111
  • BANNER UNICRED 2
  • Design sem nome – 2024-02-29T143231.335
  • clarão—970×90
  • Design sem nome – 2024-02-29T112346.494
  • 970×90 (3)
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (9)
  • Banner-Camaqua_CC 970×90
  • globalway (1)
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (7)