Usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nosso portal, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao continuar navegando, você concorda com este monitoramento. Leia mais na nossa Política de Privacidade.

  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (8)
  • Design sem nome – 2024-02-29T143231.335
  • globalway (1)
  • Design sem nome – 2024-02-06T154143.111
  • 970×90 (3)
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (7)
  • Design sem nome – 2024-02-29T112346.494
  • clarão—970×90
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (9)
  • Banner-Camaqua_CC 970×90

Morre mulher baleada por engano em perseguição policial no RS

Dorildes Laurindo foi atingida por tiros quando estava em um carro de aplicativo dirigido por um foragido. Ela teve morte encefálica após ficar internada em hospital de Gravataí


Por Redação Clic Camaquã Publicado 03/06/2020
Ouvir: 00:00

A mulher, de 56 anos, que foi atingida por engano durante perseguição policial no Rio Grande do Sul, morreu nesta terça-feira (2) em Gravataí, na Região Metropolitana de Porto Alegre. Dorildes Laurindo foi baleada quando estava em um carro de aplicativo, dirigido por um foragido, voltando de Tramandaí no dia 17 de maio.

O Hospital Dom João Becker confirmou que Dorildes teve morte encefálica. Ela estava internada na Unidade de Terapia Intensiva da instituição em estado gravíssimo.

A vítima e um amigo voltavam da praia em um carro por aplicativo, da empresa BlaBlaCar. Segundo o amigo, o angolano Gilberto Almeida, de 26 anos, que veio ao Rio Grande do Sul para passar férias com Dorildes, eles foram baleados após o motorista abandonar o carro.

“Ele começou a acelerar muito, e nós ficamos assustados e pedimos pra que ele parasse, mas ele continuava sempre acelerando. A velocidade chegava a 160, 180km, estávamos com medo daquela situação”, conta Gilberto.

O angolano relata que após fazer uma curva, o homem parou o carro, desceu, e começou a fugir a pé.

“Aí nós abrimos a porta e ao descer do carro fomos baleados. Muitos disparos. Fui atingido com quatro tiros e a Dora [amiga] também”.

Ainda segundo ele, foram disparados 35 tiros pelos três policiais militares que atuaram na ação. O motorista do carro foi preso. Ele estava foragido por tentativa de feminicídio e tem antecedentes por tráfico de drogas.

A plataforma de caronas BlaBlaCar informou, por meio de nota, que não está envolvida no trecho em que toda a ação policial aconteceu. A viagem via aplicativo foi realizada apenas no trecho de ida (Cachoeirinha-Tramandaí), sendo o trecho de retorno realizado de forma particular. Veja nota completa abaixo.

Investigação e indiciamento

 

De acordo com o delegado responsável pela investigação, Eduardo Amaral, a investigação já foi concluída. O motorista do carro foi indiciado.

“A conclusão do inquérito é que ele reagiu à abordagem. Foi indiciado pela tentativa de homicídio qualificado contra os policiais, entre outros crimes que praticou durante a fuga, e também por falsa identidade, já que usava nome falso para cadastro no aplicativo de corridas”, diz.

Com relação ao angolano, a polícia entendeu que ele não praticou nenhum crime. “Não reagiu a ação policial e na verdade ele e a Dorildes acabaram sendo atingidos por engano, durante a ação policial que tinha como alvo apenas o foragido”, destaca.

“No local próximo ao Gilberto foi encontrada uma arma de fogo, por isso em um primeiro depoimento a Polícia Militar acreditou que o Gilberto tivesse reagido também, mas nós apuramos na investigação que ele não reagiu e que aquela arma de fogo encontrada provavelmente seria do foragido, pelo histórico do foragido, e porque ele reagiu”, acrescenta o delegado.

Amaral destaca que o inquérito policial com o indiciamento do foragido foi concluído e remetido ao Poder Judiciário no dia 27 de maio.

“Como havia indícios de excessos praticados pelos policiais militares na ação, cópia do inquérito também foi remetida para o comando local da BM para a apuração de eventual infração penal/disciplinar militar”.

O Comandante do 17º Batalhão de Polícia Militar, que realizou a perseguição e a abordagem, Major Luís Felipe Neves Moreira, afirmou que até a conclusão do inquérito policial militar prefere não se manifestar.

 

Nota da BlaBlaCar

 

A BlaBlaCar, líder nacional em viagens de longa distância por meio de caronas compartilhadas, lamenta profundamente o ocorrido e reforça o compromisso com a criação de um ambiente de viagem seguro e confiável para os mais de 5 milhões de usuários da plataforma no País.

A empresa ressalta que a viagem realizada pelo casal Dorildes Laurindo e Gilberto Andrade com a ocorrência de confronto com a polícia e o incidente com tiroteio não ocorreu por meio da utilização da plataforma.

A companhia informa ainda que é uma comunidade de confiança que conecta quem procura uma viagem com quem tem espaço livre no carro. Funcionalidades como verificação de foto, e-mail, telefone e avaliações permitem que os condutores e passageiros escolham com quem vão viajar antes da viagem.

Por não ser um serviço de cunho comercial, não existe a obrigatoriedade de verificação da documentação.

No referido caso, o condutor Luiz Carlos Pail Junior optou por oferecer a carona sem cadastrar seus documentos, informação que fica disponível em seu perfil dentro do aplicativo, visível a todos que acessam a plataforma.

 A BlaBlaCar preza pela segurança de seus usuários e reitera que se encontra à disposição das autoridades para colaborar com as investigações.

 


  • Design sem nome – 2024-02-06T154143.111
  • Design sem nome – 2024-02-29T112346.494
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (8)
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (7)
  • 970×90 (3)
  • Design sem nome – 2024-02-29T143231.335
  • globalway (1)
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (9)
  • Banner-Camaqua_CC 970×90
  • clarão—970×90