Usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nosso portal, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao continuar navegando, você concorda com este monitoramento. Leia mais na nossa Política de Privacidade.

  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (9)
  • 970×90 (3)
  • Banner-Camaqua_CC 970×90
  • globalway (1)
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (7)
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (8)
  • Design sem nome – 2024-02-29T112346.494
  • Design sem nome – 2024-02-06T154143.111
  • clarão—970×90
  • Design sem nome – 2024-02-29T143231.335
  • BANNER UNICRED 2

Falta de saneamento afeta 75% dos que ganham até um salário mínimo no Brasil

Fornecimento do serviço passa de 90% para quem tem renda mais elevada


Por Pablo Bierhals Publicado 05/07/2024
Ouvir: 00:00
cgoncalves_abr_2208183861
Foto: Carolina Gonçalves/Agência Brasil

A Associação e Sindicato Nacional das Concessionárias Privadas de Serviços Públicos de Água e Esgoto (Abcon-Sindcon) publicou nesta quinta-feira (4) um estudo revelador sobre a desigualdade no acesso ao saneamento básico no Brasil, destacando que as populações de baixa renda são as mais prejudicadas.

O Panorama da Participação Privada no Saneamento indica que 75,3% dos brasileiros sem acesso à rede de água vivem com até um salário mínimo. Além disso, 74,5% daqueles sem ligação à rede de esgoto também têm rendimentos mensais inferiores a um salário mínimo.

Acesso Privilegiado para Altas Rendas

Em contraste, tanto a coleta de esgoto quanto o fornecimento de água atingem mais de 90% das pessoas que recebem mais de cinco salários mínimos. Essa disparidade evidencia a urgência de políticas públicas eficazes para a universalização do saneamento.

Meta de Universalização até 2033

A universalização dos serviços de saneamento no Brasil está prevista para 2033, conforme estabelecido pelo marco legal do setor. A diretora executiva da Abcon-Sindcon, Christianne Dias, afirma: “Após quatro anos em vigor, o Marco Legal do Saneamento já conseguiu incrementar investimentos e promover avanços importantes, mas ainda temos grandes desafios pela frente até a universalização dos serviços de água e esgoto. O saneamento precisa ser considerado uma prioridade nacional, inclusive no âmbito da reforma tributária.”

A pesquisa da Abcon-Sindcon sublinha a necessidade de ações urgentes e integradas para garantir que todos os brasileiros tenham acesso a saneamento básico, independentemente de sua renda. A implementação completa do marco legal do setor é crucial para alcançar esse objetivo e promover a saúde e a dignidade de toda a população.


  • Design sem nome – 2024-02-06T154143.111
  • Design sem nome – 2024-02-29T112346.494
  • clarão—970×90
  • Banner-Camaqua_CC 970×90
  • globalway (1)
  • Design sem nome – 2024-02-29T143231.335
  • 970×90 (3)
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (8)
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (9)
  • BANNER UNICRED 2
  • Faça uma visita na Rua General Zeca Netto, 970 – no centro de Camaquã ENTRE EM CONTATO (51) 9 9368-4947 (7)