Política

“O Plano Diretor está deitado em berço esplêndido na Câmara desde 2019”, afirma empresário

Marco Pires falou sobre o Plano Diretor e a demora para sua aprovação, durante participação no programa Controle Geral
Por: Sabrina Borges | Publicado: 27/06/2021 às 15:17 | Alterado: 04/07/2021 às 08:50
Foto: Sabrina Borges/ Clic Camaquã
Foto: Sabrina Borges/ Clic Camaquã

Na manhã deste sábado (26), Marco Pires participou do programa Controle Geral da ClicRádio e falou sobre o Plano Diretor do Município de Camaquã. Na conversa com Alvorino Osvaldt e Danilo Beltrami, Marco comentou explicou porque se interessa pelo Plano Diretor. 

“O meu interesse no Plano Diretor é que Camaquã cresça”, afirmou. Marco informou que muitas pessoas falam que ele participa do Plano Diretor porque faz obras. “Faço obras, mas tudo dentro do que está definido na lei”, comentou. 

Ele explicou que a cada casa construída, de um tamanho médio, são gerados cerca de sete empregos diretamente e sete indiretamente. “Nada tem um crescimento igual a construção civil”, afirmou. “O setor de maior geração de mão de obra é a construção civil”, ressaltou. 

Marco explicou que a área detém cerca de 15% da mão de obra ativa do país. Ele comentou que coube à ele a tarefa de solicitar para a Câmera o Plano Diretor.  “Porque ele está lá na Câmara em berço esplêndido desde 19 de dezembro de 2019”, comentou.

“Eu acredito que deve sair um pacote muito superior ao que foi apresentado, porque a Prefeitura entrou com 12 técnicos para fazer esse novo Plano Diretor. Teve  núcleo consultivo com 11 entidades, teve uma revisão participativa de toda a sociedade”, comentou. 

“Teve reuniões no interior, no Banhado do Colégio, Santa Auta, nos bairros. Teve duas audiências públicas feitas pela Prefeitura, teve duas audiências públicas feitas pela Câmara e até hoje não surtiu efeito”, afirmou. 

“Acredito que vai ser elaborado um Plano bem superior que o que foi apresentado devido ao tempo que está lá dentro da Câmara”, comentou. Marco lembrou que quando o Plano foi apresentado o antigo presidente da Câmara comentou que em 30 dias estaria aprovado. 

Confira a partir das 2h25 de transmissão: 

deixe seu comentário