Polícia

Acusados de assassinato em Dom Feliciano seguem presos preventivamente

Mãe e filho foram encaminhados para casas prisionais enquanto Polícia investiga o assassinato de Erni Pereira da Cunha, de 43 anos
Por: Elias Bielaski | Publicado: 13/05/2021 às 11:20 | Alterado: 20/05/2021 às 10:43 | Fonte: Com informações da Polícia Civil
Foto: Igor Garcia / Clic Camaquã
Foto: Igor Garcia / Clic Camaquã

Mãe e filho acusados de estarem envolvidos no assassinato de Erni Pereira da Cunha, de 43 anos, seguem presos preventivamente. O crime ocorreu na localidade de Colônia Nova, no interior de Dom Feliciano, no dia 15 de fevereiro de 2021. 

Receba as notícias do Clic no WhatsApp.

Nesta semana, a Polícia Civil realizou a prisão preventiva da esposa de 35 anos, que confessou o crime, e também do filho mais velho do casal, de 21 anos, o qual a Polícia suspeita estar envolvido no assassinato. A mulher foi encaminhada para o Presídio Feminino de Guaíba, enquanto o jovem foi levado ao Presídio Estadual de Camaquã.

Para a Polícia, a acusada confessou ter dopado Erni com o remédio Diazepan, diluído em suco de laranja, e arrastado o marido adormecido a uma fornalha utilizada para a secagem de fumo. Lá, Erni foi "queimado" por três dias. 

Como justificativa, a mulher afirmou ter sido agredida por 20 anos pelo marido. Ela ainda afirmou que planejou o crime após o marido ter iniciado ameaças contra os filhos de 21 e 16 anos.

Inscreva-se no canal do Clic no YouTube.

"Ela relatou que foi agredida e ameaçada durantes esses 20 anos, e que recentemente o homem teria ameaçado agredir também os filhos, o que ela disse que não admitiria. Por isso, afirmou que cometeu o crime.", destacou a delegada Vivian Sander Duarte, responsável pelo caso.

Um dos vídeos divulgados pela Polícia Civil mostra o forno onde Erni foi morto. Assista:

"Os depoimentos dos familiares eram bem incongruentes, já que todos afirmavam que a vítima saiu de casa a pé, e que depois teria mandado mensagens dizendo que tinha saído de casa para ser feliz", relatou a delegada.

Saiba como sugerir uma reportagem para o Clic.

De acordo com a delegada, a suspeita realizou pesquisas na internet sobre "como matar uma pessoa utilizando veneno" (veja no vídeo abaixo).

A esposa ainda relatou que recentemente teve um ombro quebrado pelo marido em uma das agressões. A mulher não prestou nenhum boletim de ocorrência prévio ao assassinato. 

A mulher afirmou ter agido sozinha, arrastando o marido da sua residência até a fornalha utilizada para queimar seu corpo. O filho de 21 anos, preso preventivamente, prestou depoimento à Polícia Civil nesta quarta-feira (12). O conteúdo do interrogatório não foi divulgado.

Receba as notícias do Clic no WhatsApp.

O caso chocou a comunidade do município de cerca de 15 mil habitantes, ganhando repercussão estadual nos últimos dias, ganhando espaço nos principais noticiários da televisão aberta. 

Confira a entrevista exclusiva com a delegada Vivian Sander Duarte:

A polícia aguarda resultados da perícia para concluir o inquérito.

Inscreva-se no canal do Clic no YouTube.

Polícia Civil / Divulgação

deixe seu comentário