Variedades

"Há quase 60 anos eu não ficava mais de um mês em uma única cidade", afirma gerente do Park Play Sul

Parque chegou em Camaquã no começo do março; gerente falou da luta pelo sustento e da tristeza de ver o parque fechado há 7 meses
19/10/2020 - 17h:28min - Fonte: Colaboração Igor Garcia
Anterior Próximo

A pandemia trouxe prejuízo para muitas pessoas, em distintas situações, no mundo todo. Em Camaquã, exatamente uma semana antes do decreto da pandemia da Covid-19, chegou o Park Play Sul e desde então os brinquedos continuam instalados e os profissionais preocupados com os prejuízos.

Desde que o parque chegou em Camaquã, está com a bilheteria fechada, terreno vazio e brinquedos parados, há 7 meses. O gerente do park, Nelson Oliveira, tem 65 anos e trabalha desde os 7 anos com o park e salientou que esta é a primeira vez que ele presencia uma situação como esta. "Há quase 60 anos eu não ficava mais de um mês em uma única cidade”, afirmou.

Nelson mencionou que se alguém puder ajudar, eles estão precisando muito. “A gente está parado, sem nenhuma verba... o pessoal da cidade ajudou muito a gente e vamos agradecer a todo esse pessoal que apoiou a gente”, disse.

Algumas pessoas da cidade levaram alimentos e o gerente mencionou que o park também precisa de manutenção, então se alguma empresa puder ajudar eles estão aceitando. “Nós não queremos dinheiro, nós queremos trabalhar”, disse.

O Park Play Sul

A estrutura do park é de dez funcionários próprios que realizam as viagens direto. Em cada cidade que chegam, são contratados mais dez funcionários do município, também para ajudar na mão de obra local.

O park conseguiu funcionar por apenas 1 semana, com um bom movimento apenas por três dias. Após, ocorreu a situação da pandemia e não puderam mais trabalhar.  “Queremos poder abrir o park novamente, com tudo que é exigido de medidas de segurança”, afirmou Nelson.

O gerente contou ainda que o máximo de tempo que ficam em cada cidade é de 30 dias e que o prejuízo foi grande. “Prejuízo total... como somos muita gente, nós estamos zerados”, disse.

Eles estão preparando o park para colocar tudo em dia e, quando terminar a pandemia, conseguir abrir de novo. Nelson salientou ainda que precisam de ajuda, principalmente das empresas, com tintas e manutenção nos brinquedos.

deixe seu comentário