Saúde e Bem Estar

Dia 19 de outubro marca o Dia Internacional do Combate ao Câncer de Mama no Outubro Rosa

Em alusão à data, programa Bom Dia Camaquã recebeu Rozani Beatriz Marcollin, presidente da Liga Feminina de Combate ao Câncer de Camaquã
19/10/2020 - 11h:41min - Fonte: Com informações de INCA, POSFG, PUC Minas

O mês de outubro já é reconhecido por uma cor e um significado especial. Nesta época, monumentos em pontos turísticos e fachadas de instituições iluminadas com a cor rosa acendem o alerta para uma questão de saúde pública que atinge 2,1 milhões de pessoas anualmente: o câncer de mama.

Na manhã desta segunda-feira, 19 de outubro, o programa Bom Dia Camaquã recebeu Rozani Beatriz Marcollin, presidente da Liga Feminina de Combate ao Câncer de Camaquã, que falou sobre as novas ações da entidade e da importância do combate ao câncer de mama, uma das principais áreas de atuação da Liga. Confira a entrevista completa a partir de 30min de transmissão:

Dentre os destaques da entrevista, Rozani falou sobre a nova edição do Drive Thru da Liga, que ocorreu no dia 25 de outubro, no Estacionamento do Super São José, na avenida José Loureiro da Silva, em Camaquã. Segundo ela, serão 280 ingressos, disponíveis na Veterinária Raça e no Super São José.

O valor, assim como na primeira edição, será revertido para arcar com custos da entidade e para a realização das ações sociais promovidas pela Liga em Camaquã e região. Clique aqui e saiba mais.

 

A importância da prevenção

O câncer de mama é, muitas vezes, silencioso e os sintomas são variáveis de acordo com o tipo ou a idade. Alguns sinais podem estar relacionados à doença, deixando bem claro que sua presença não traz a certeza do diagnóstico, do mesmo modo que sua ausência não significa estar livre do câncer de mama, mas eles ajudam a ter uma detecção precoce.

São eles: nodulações, inversão de mamilo sem nenhuma causa aparente, sangramento espontâneo pelo mamilo, regiões inchadas ou vermelhas e drenagem de pus, entre outros. Todos eles são alarmes que devem receber a devida importância e que podem ser detectados durante a prática do autoexame, aliado ao acompanhamento multidisciplinar e em consultório médico.

O autoexame das mamas deve ser feito em três situações: em pé em frente ao espelho, durante o banho e deitada. Nessas ocasiões deve-se fazer a palpação em movimentos circulares e observar se existe alguma alteração de tamanho, nódulos, desvio na linha do mamilo ou alguma outra alteração de pele visível.

É importante que o exame sempre seja feito de três a dez dias depois da menstruação ou uma data fixa, para que a mulher tenha um grau de comparação sempre na mesma fase do ciclo”. A partir dos 50 anos, o Ministério da Saúde recomenda a realização da mamografia com intervalo máximo de dois anos. Em caso de detecção da neoplasia, o tratamento pode variar entre cirurgia, quimioterapia, radioterapia ou combinação desses métodos, de acordo com tipo de câncer, extensão e região acometida. Entretanto, a precocidade do diagnóstico é diretamente proporcional à chance de reabilitação, recuperação e cura.

Diversos fatores podem estar relacionados ao aumento do risco de desenvolver a doença, como idade, fatores genéticos, hereditários, psicossomáticos ou ambientais. Outros fatores também podem estar relacionados ao surgimento da doença, como o início precoce da puberdade, uso prolongado de anticoncepcionais orais e o fato de não ter filhos e não amamentar.

Entretanto, hábitos saudáveis podem mitigar as chances de surgimento, como manter uma alimentação balanceada, praticar exercícios físicos com regularidade, evitar o tabagismo e o consumo excessivo de álcool, entre outras práticas que gerem qualidade de vida, além do acompanhamento médico regular. O aumento das taxas de câncer de mama em pacientes com menos de 40 anos pode estar relacionado, além dos fatores listados acima, com o nível de conscientização.

 

O Outubro Rosa

Movimento internacional de conscientização para o controle do câncer de mama, o Outubro Rosa foi criado no início da década de 1990 pela Fundação Susan G. Komen for the Cure. A data é celebrada anualmente, com o objetivo de compartilhar informações e promover a conscientização sobre a doença; proporcionar maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento e contribuir para a redução da mortalidade.

A primeira ação no Brasil ocorreu em 2002, no Parque Ibirapuera, em São Paulo. O Obelisco Mausoléu ao Soldado Constitucionalista foi iluminado com luzes cor de rosa. A partir de 2008 ações como essa se tornaram cada vez mais recorrentes. Diversas entidades passaram a iluminar prédios e monumentos, com finalidade de transmitir a mensagem que a prevenção é necessária.

Atualmente o câncer de mama é segundo tipo que mais afeta as brasileiras. No país, foram registrados 59.700 casos novos de câncer de mama em 2019. Homens também devem ficam atentos, para cada 100 mulheres diagnosticadas com câncer, existe um homem que contrai o tumor. Quando descoberto precocemente, o câncer mamário tem até 95% de chances de cura. Os principais sintomas da doença são: pele da mama avermelhada, alterações no mamilo, nódulo e presença de líquido no seio. Em alguns casos também existe a presença de pequenos caroços no pescoço ou na axila.

deixe seu comentário