Educação e Cultura

Volta às aulas 2020: Secretário afirma que rede municipal não volta e ensino privado pode voltar neste ano

Informações foram divulgadas durante live que ocorreu na tarde desta quinta-feira (10), no auditório da Secretaria Municipal de Camaquã; saiba como vai funcionar
10/09/2020 - 17h:41min - Fonte:

O ano de 2020 segue sendo um ano totalmente atípico. A pandemia da Covid-19 resultou em uma série de impactos, em todos os setores. A educação é um setores que foi fortemente atingido pelas alterações e regras de prevenção ao vírus.

Em Camaquã, foram cerca de 17 dias de aulas, interrompidos pelo afastamento e isolamento social determinado pelos gestores públicos e órgãos de saúde. As aulas presenciais foram suspensas no dia 16 de março. 

“Em um primeiro momento o mundo inteiro achou que não duraria muito”, comentou o secretário da educação municipal, Nelson Egon Geiger Filho, em live realizada durante a tarde desta quinta-feira (10). “A gente ainda não tem ideia de quando vai terminar”, expressou. 

Houve uma reorganização na educação municipal no mês de abril e durante maio, as aulas passaram a ser realizadas de forma remota e plantões passaram a acontecer nas escolas. 

No dia 1º de setembro, o governador Eduardo Leite detalhou o calendário para volta às aulas no estado do Rio Grande do Sul. A partir do dia 8 de setembro, as escolas da Educação Infantil estão autorizadas a retomar atividades presenciais em regiões que estejam na bandeira laranja ou amarela por mais de duas semanas no modelo de Distanciamento Controlado.

De acordo com um calendário divulgado pelo governo do RS, o Ensino Médio (geral) e o Ensino Superior retomam as aulas presenciais na mesma data: 21 de setembro. Já os estudantes do ensino médio de instituições estaduais voltam para as classes somente em 13 de outubro. O Ensino Fundamental – anos finais – volta em 28 de outubro e o Ensino Fundamental – anos iniciais – em 12 de novembro.

“A gente entendeu depois de várias reuniões, que diante de todas as incertezas, a rede municipal de ensino de Camaquã não terão no ano de 2020 o retorno das atividades presenciais”, afirmou Nelson. “Permanece a metodologia que está sendo aplicada, de atividade de forma remota”, concluiu.

“A rede municipal de educação já decidimos que não vai ter o retorno de aula presencial em 2020”, afirmou. “Rede privada e universidades particulares têm que criar o seu Centro de Operações de Emergência (COE) local. Precisam criar o seu plano de contingência e submeter esse plano de contingência ao COE, com cinco dias de antecedência da sua previsão de retorno. Se aprovada essas instituições podem ter o retorno das aulas presenciais”, explicou.

O secretário comentou sobre a chegada do final do ano e sobre a metodologia que vem dando resultados no município. Esses foram fatores que colaboraram para que a decisão de não retomar as aulas municipais fosse tomada. “Vai existir uma lacuna, uma falta de conteúdo”, afirmou. “O mais importante é a vida e segurança de todos”, afirmou.

 

Como será a recuperação?

 

O secretário explicou que a recuperação deste ano será realizada no decorrer de 2021, talvez se estendendo para 2022. “Essa lacuna de conteúdo vai ser restituído”, afirmou. Nelson solicitou para que os pais e responsáveis fiquem calmos e que colaborem na realização das atividades que as escolas estão disponibilizando neste momento. 

 

Além disso, ele ressaltou a importância do desenvolvimento das atividades que estão sendo encaminhadas para casa. “Tenham a tranquilidade que tudo que está sendo feito, está sendo realizada da melhor maneira possível”, afirmou.

 

O secretário Nelson encerrou a live com uma reflexão: “Antes de pensar que o ano está perdido ou que devemos retornar às aulas presenciais é preciso entender que crianças e adolescentes aprendem também em espaços não escolares. Eles estão em pleno desenvolvimento cognitivo, emocional e social. Tudo que eles estão vivendo neste momento de isolamento social, em casa, nos seus núcleos familiares é importante. 

 

Sabemos que as famílias estão sobrecarregadas, ninguém estava preparado para enfrentar essa pandemia. Os professores estão sobrecarregados, não imaginavam que teriam que se adaptar a novas formas de ensino, mas mesmo assim todos somos responsáveis pelas nossas crianças. Por isso a rede municipal mantém as atividades pedagógicas não presenciais”, comentou. 

 

 

 

 

 

 

 

deixe seu comentário