Últimas Notícias

Confira programação da Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla 2020

Durante esta semana, serão abordados diversos temas para comemorar a data, além da Federação Nacional das Apaes, diversas Apaes e Federações Estaduais promovem uma vasta programação de eventos
24/08/2020 - 10h:27min - Fonte:

A Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla 2020 acontece entre os dias 21 a 28 de agosto em novo formato. Debates, palestras e encontros serão realizados através de videoconferências. 

Este ano o tema da semana é “Protagonismo Empodera e Concretiza a inclusão Social” e foi definido pela Federação Nacional das APAEs (Fenapaes). O tema foi definido para reafirmar a importância da participação da família, em todos os processos da vida de uma pessoa com deficiência. 

Durante esta semana, serão abordados diversos temas para comemorar a data. Haverá um evento virtual nos canais da APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais), no You Tube e Facebook. Serão abordados os seguintes assuntos:

  • A conquista da autonomia através das artes;
  • Práticas esportivas e qualidade de vida;
  • Pessoas com deficiência e seus direitos, na visão dos autodefensores;
  • A família como protagonista do processo de inclusão da pessoa com deficiência intelectual e múltipla;
  • Vida sexual e afetiva da pessoa com deficiência intelectual;
  • Inclusão no trabalho, vida comunitária e produtiva;
  • A educação como meio para o desenvolvimento humano em igualdade de oportunidades.

Além das videoconferências, cada APAE e Federações Estaduais, têm a sua própria programação de atividades. Em Camaquã, a semana vai contar com a divulgação de vídeos, entrevistas, entrega de atividades diferenciadas para alunos, entre outras ações.

Os alunos e colaboradores da instituição elaboraram vídeos super especiais para esta semana. Saiba mais na página do Facebook da entidade

A imagem pode conter: texto

Em 2017 foi sancionada a Lei 13.585 de 26 de dezembro de 2017, que instituiu a Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla nos dias 21 a 28 de agosto. 

Deficiência Intelectual e Múltipla

Pessoas com deficiência intelectual ou cognitiva costumam apresentar dificuldades para resolver problemas, compreender ideias abstratas, estabelecer relações sociais, compreender e obedecer a regras, e realizar atividades cotidianas - como, por exemplo, as ações de autocuidado.

A capacidade de argumentação dessas pessoas também pode ser afetada e precisa ser devidamente estimulada para facilitar o processo de inclusão e de aquisição de independência em suas relações com o mundo.

As pessoas portadoras de deficiência múltipla são aquelas afetadas em duas ou mais áreas, caracterizando uma associação entre diferentes deficiências, com possibilidades bastante amplas de combinações. Um exemplo seriam as pessoas que têm deficiência mental e física.

Deficiência Intelectual

O conceito de deficiência intelectual adotado atualmente foi instituído pela American Association on Intellectual and Developmental Disabilities (AAIDD) como “Incapacidade caracterizada por limitações significativas no funcionamento intelectual e no comportamento adaptativo e está expresso nas habilidades práticas, sociais e conceituais, originando-se antes dos dezoito anos de idade”.

Deficiência múltipla

É a expressão adotada para designar pessoas que têm mais de uma deficiência. É uma condição heterogênea que identifica diferentes grupos de pessoas revelando associações diversas de deficiências que afetam, mais ou menos intensamente, o funcionamento individual e o relacionamento social.

Covid-19 e seu impacto nas atividades da APAE

Como diversos setores, a educação e saúde sofreram com o impacto da pandemia de Covid-19. Em um primeiro momento todas as atividades foram pausadas. Na sequência os trabalhos começaram a ser retomados, repletos de incertezas e receios. 

A APAE passou a desenvolver atividades remotas para seus alunos, se reinventado, criando e adaptando formas para dar sequência aos trabalhos que eram desenvolvidos. Em seguida, a parte assistencial clínica da APAE voltou a atender aos pacientes, dando toda assistência que estes precisavam. 

“Como nós trabalhamos com assistência social, saúde e educação, a assistência jamais pode abandonar as família. Nossa clínica continua atendendo os pacientes em tempo integral”, explicou a diretora da APAE de Camaquã, Vera Rosane Jacobsen.  

A supervisora da instituição, Adriana Colombi, comentou sobre as dificuldades desta nova fase que o distanciamento social provocou. Ela informou as mudanças que ocorreram na forma de desenvolver as atividades para os alunos, destacando as peculiaridades de cada um. “As atividades são feitas para um determinado aluno. Não é uma atividade para todos os alunos”, comentou.

Relacionamento com a família

A diretora comentou sobre o papel fundamental da família, para que seja dado sequência aos trabalhos com os alunos. “Ficamos apreensivos sobre como fazer uma educação domiciliar, mas a família está muito parceira”, divulgou. “As pessoas nos surpreendem [...] está sendo um aprendizado novo para todos nós”, afirmou. 

Durante este período em que a participação da família nas atividades se tornou extremamente importante, os pais puderam conhecer um pouco mais sobre os filhos. “Eles estão conhecendo as dificuldades e potencialidades de seus filhos”, falou. A maioria das famílias está dando um feedback positivo à equipe educadora da instituição. 

Diversos meios virtuais são utilizados para manter o contato entre professores e alunos. Grupos no WhatsApp, Facebook, além disso, a criação de vídeos também colabora para manter a proximidade entre todos. 

Adriana compartilhou o sentimento da equipe inteira neste momento, “Estamos morrendo de saudade de todos”, afirmou. Neste período, a falta do abraço carinhoso dos assistidos pela APAE segue deixando um vazio nos braços de todos os profissionais, que se dedicam diariamente para colaborar com a qualidade de vida de cada uma deles. “Tomara que isso passe rapidinho, esperamos vocês com todo o amor e carinho de sempre”, salientou Adriana. 

APAE  e a comunidade

Com 48 anos de atuação no município de Camaquã, a APAE mantém suas atividades graças ao apoio e confiança da comunidade em seu trabalho. Em sua participação na ClicRádio, o presidente da instituição, Francisco de Paula Paiva Delamare agradeceu o apoio dos investidores que contribuem para as melhorias em infraestrutura e oferta de serviços. 

“Independente dos termos e emendas impositivas, trabalhamos com o SUS e do Fundep. Hoje estamos procurando abrir outros canais, para que a instituição não fique dependente do poder público”, explicou. “Hoje já estamos vendendo serviços na nossa piscina. Já criamos uma padaria, que a princípio está funcionando internamente, mas vamos abrir para arrecadar fundos”, comentou.

“Estamos tentando trazer para a APAE um centro de reabilitação na área física, intelectual e auditiva. Esse centro de reabilitação seria regional”, salientou. “Apesar da APAE ser uma entidade filantrópica, ela pode vender 60% dos seus serviços”, explicou. 

Saiba como ajudar a APAE

Tele-APAE: Quem quiser colaborar através deste meio, precisa entrar em contato com a APAE, através do telefone (51) 3671-8280. Este é um compromisso mensal ou esporádico, em que um funcionário da organização vai receber a quantia combinada no endereço fornecido no cadastro. 

Nota fiscal gaúcha: Basta realizar o cadastro no programa e marcar a APAE como uma das instituições para receber a colaboração. Além de ajudar a instituição, a pessoa concorre a diversos prêmios no programa. 

Saiba mais sobre o programa Nota Fiscal Gaúcha: clicando aqui! 

 

deixe seu comentário