Últimas Notícias

Entenda como calcular os impactos da Reforma Tributária RS no simulador divulgado pelo Governo do Estado

As três ferramentas de consulta podem ser usadas por famílias, motoristas de aplicativos e prefeituras
Publicado: 11/08/2020 às 00:00 | Alterado: 22/04/2021 às 11:06 | Fonte: Governo do Estado do RS

Para auxiliar no melhor entendimento das mudanças da Reforma Tributária RS na vida dos gaúchos e na gestão das administrações municipais, além de garantir transparência sobre as medidas, o governo do Estado lançou nesta segunda-feira (10), após a entrega dos projetos à Assembleia, três simuladores que podem ser acessados no endereço www.estado.rs.gov.br/reformatributariars.

Criadas pela Secretaria da Fazenda e Procergs, as ferramentas de consulta cruzam diferentes fontes de dados e mostram, em um primeiro momento, o que muda na estrutura de gastos de uma família por faixa de renda em 2023 (tendo em vista que há medidas com impacto gradual sobre o ICMS implementadas até 2023).

É possível ver, também, o impacto das mudanças para o IPVA já em 2021 (inclusive com simulação que exemplifica os impactos nas despesas para um motorista de aplicativo) e como a queda da alíquotas majoradas ao final de 2020 pode afetar a arrecadação dos municípios gaúchos.

As simulações são feitas com base em dados obtidos por meio das Notas Fiscais Eletrônicas e da Pesquisa de Orçamentos Familiares 2017/2018 (POF-IBGE).

Nas próximas semanas, os simuladores poderão ter novas funcionalidades e formas de pesquisa mais detalhados. A seguir, veja o que já possível consultar.

SIMULADOR PARA FAMÍLIAS

 

RT simulação famílias1

 

Para calcular os efeitos médios da Reforma para as famílias, basta inserir o valor da renda mensal aproximado. A partir desse dado se consegue estimar qual o resultado para cada situação no ano, sendo possível, também, cruzar as informações com o aumento das alíquotas de IPVA. Cada simulação permite a inclusão de até dois veículos.

O simulador já contempla as mudanças da transição da alíquota geral de ICMS de 18% para 17%, a queda de tributos para gasolina e álcool, energia e comunicações, desoneração da cesta básica, além da projeção de outros itens que aumentam ou diminuem sua tributação a partir da eliminação de algumas alíquotas. Hoje, no Estado, há cinco alíquotas de ICMS, sendo que a reforma propõe apenas duas.

Também é possível verificar de quanto será a devolução do imposto para famílias de baixa renda. Pela proposta da Reforma, aquelas que têm renda de até três salários mínimos (1,1 milhão de famílias gaúchas, 30% do total) receberão uma restituição correspondente a um percentual do imposto suportado. Esse percentual será maior para as famílias relativamente mais pobres, combatendo uma das principais distorções do ICMS, que é a regressividade (pesa mais para quem ganha menos). A devolução será gradual até 2023.



SIMULADOR PARA MOTORISTA DE APLICATIVO

RT simulação aplicativo

Análise de custos com gasolina e álcool, internet e IPVA disponibilizados pelo simulador permitem avaliar o que muda com a Reforma para um motorista de aplicativo ou para qualquer motorista. Basta informar os quilômetros rodados no mês, o consumo médio do veículo, o gasto mensal com celular e o valor do veículo para o cálculo do IPVA que o simulador mostrará o resultado anual após as mudanças propostas.

Os cálculos feitos com base no preço do álcool e gasolina (preço médio ponderado ao consumidor final informado pela Receita Estadual). Não há simulação para veículos a diesel e GNV, pois não há mudança de carga tributária na Reforma. Taxis, lotações, transporte escolar e ônibus urbanos seguem isentos de IPVA, porém beneficiados com a redução ou manutenção das alíquotas de combustíveis.



SIMULADOR PARA OS MUNICÍPIOS

RT simulação prefeituras

As projeções para 2021 indicam que sem a reforma tributária, os municípios perderão R$ 850 milhões. Digitando o nome do município na ferramenta, é possível ver a queda de arrecadação com o fim das alíquotas majoradas sem a Reforma.

Isso ocorre porque a arrecadação de ICMS do Estado é repartida em 25% com os municípios, de acordo com uma série de parâmetros que definem, todos os anos, o valor de retorno para cada prefeitura. Como a receita do Estado com combustíveis, energia e telecomunicações cairá, proporcionalmente, as prefeituras terão retorno do ICMS menor a partir de janeiro. Além disso, o tributo também faz parte das receitas que compõem o Fundo de Desenvolvimento e Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

Com a Reforma, além de preservar a arrecadação atual, haverá mais investimentos nos municípios. Trata-se do envio de 12% dos recursos do Fundo Devolve-ICMS que serão destinados para a infraestrutura agropecuária. Até 2023, podem ser até R$ 130 milhões anuais.

No caso da Agricultura, por exemplo, em 2019, a secretaria teve apenas R$ 22 milhões em investimentos em todo o Estado, comprovando a relevância desses gastos frente aos que têm sido praticados.