Economia

Presidente do Sindilojas afirma que comércio precisa no mínimo realizar os serviços de take-away e tele entrega

Otávio Morais destacou que suas atitudes são em relação à defesa de uma classe, que é o comércio; além disso que a Fecomércio vai ter um contato com Eduardo Leite, na tentativa de uma flexibilização
28/06/2020 - 18h:59min - Fonte:

Em defesa dos empresários e à economia do município de Camaquã, o presidente do Sindilojas Costa Doce de Camaquã, Otávio Morais, ressaltou que suas atitudes são em relação à defesa de uma classe, que é o comércio. Ele informou que parabeniza os envolvidos pelo toque de recolher e que essas ações de fiscalização de boates a noite e aglomeração de pessoas em locais públicos, já eram para ter iniciado muito antes e devem continuar sendo realizadas na cidade.

Leia também: Lojistas de Camaquã abrem nesta terça como forma de protesto

Otávio salientou ainda que o comércio não essencial não é o que está contaminando e fez uma reflexão com os ouvintes do Controle Geral de sábado (27), sobre a situação. “Como é o nome da categoria que está fechada? Não essencial. O nome já diz, que em algum momento eu não preciso desse produto. Em todo o cenário de recessão, os não essenciais são os que não vendem. Desde o início da pandemia ocorreu um recessão severa e os não essenciais são os que menos venderam produtos e automaticamente são os locais que tem menor fluxo de pessoas dentro dos ambientes”, disse.

Os serviços não essenciais, é a única categoria que fica 100% fechada, sem flexibilidade. Além da proibição dos serviços de take-away e tele entrega. “Porque o governador não libera o take-away e a tele entrega? Porque todos têm uma flexibilização e nós não?

O presidente do Sindilojas afirmou que a Fecomércio vai ter um contato com o governador Eduardo Leite, na tentativa de no mínimo o comércio possa realizar os serviços de take-away, tele entrega e recebimento de carnes. “Eu não sou partidário e não defendo nenhum partido, eu estou aqui defendendo uma falta de coerência do Governo Estadual”, finalizou.

Assista a entrevista completa, a partir de 3h15min, clicando aqui

deixe seu comentário