Saúde e Bem Estar

Bombeiros doam sangue para o Hospital de Camaquã

Doações foram feitas ao longo dos últimos dias para ajudar banco de sangue do HNSA; agende um horário através do telefone (51) 3671-7969, sua doação pode salvar até quatro vidas!
29/05/2020 - 14h:30min - Fonte:

Durante a última semana, o Hospital Nossa Senhora Aparecida de Camaquã recebeu doações de sangue de um grupo de bombeiros municipais. "Ficamos muito felizes e gratos por esse gesto de solidariedade, pois sabemos da importância disso para o bem do próximo.", disse o Hospital pelas redes sociais.

Se você deseja doar sangue com segurança, agende um horário pelo telefone  (51) 3671-7969.

 

"É possível doar sangue com segurança em meio a uma pandemia?"

É sim, através do agendamento de horário. Com isso, evitamos aglomeração no Hospital e garantimos a segurança de todos os pacientes e profissionais da saúde.

O atendimento é feito um a um, portanto, você não terá contato com os demais doadores. Além disso, estamos redobrando os cuidados com a higienização do local de coleta.

 Lembre-se: O uso de máscara é obrigatório.

Apesar do cenário não ser positivo, precisamos muito da sua colaboração para salvar outras vidas. Nos ajude!"

 

 

De acordo com o Hemocentro, a recomendação é de que homens façam a doação com intervalos de dois meses e mulheres, com intervalo de três meses entre as doações.

Para doar sangue é necessário: 

- Estar em boas condições de saúde;
- Pesar no mínimo 50kg e medir no mínimo 1,50m;
- Estar bem alimentado, 2 horas após o café ou 3 horas após o almoço;
- Ter entre 16 e 69 anos;
- Não fumar 2 horas antes da doação.  

Leia também: Hospital de Camaquã esclarece mitos e verdades sobre o vírus do HIV 

De acordo com uma pesquisa feita em 2017 pelo Eu Dou Sangue em parceria com o Instituto Datafolha, cerca de 92% dos brasileiros disseram não ter doado sangue entre junho de 2016 e junho de 2017.  De acordo com o levantamento, além do recesso e do clima mais frio, feriados e dias chuvosos também impactam negativamente os hemocentros, que costumam registrar queda de 30% em seus estoques no período.  

Os dados também mostraram que 39% dos brasileiros admitem não saber qual é seu tipo de sangue. O estudo, que ouviu 2.771 entrevistados em todo o país, mostrou que o desconhecimento é maior entre os homens (44%) do que entre as mulheres (35%). Assim como a maioria dos jovens (52%), na faixa dos 16 aos 24 anos, também desconhecem esse aspecto de seu próprio corpo.  

A recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) é de que cada país tenha, entre 3% e 5% de sua população doadora de sangue frequente. No Brasil, o índice fica em 1,8%, enquanto em alguns países da Europa, cerca de 7%.

deixe seu comentário