Polícia

"Dor sem fim", diz pai de sobrevivente do acidente que matou mãe e filho

Carro em que estava a família foi atingido por outro, que era conduzido por adolescente de 17 anos. Fernanda Xavier Sosso, de 33 anos, e filho Otávio Xavier Ceconi, de 2, foram enterrados nesta segunda-feira (21).
21/10/2019 - 11h:58min - Fonte: G1/RS

Os corpos de Fernanda Xavier Sosso, de 33 anos, e de Otávio Xavier Ceconi, de 2 anos, foram enterrados na manhã desta segunda-feira (21) em Caxias do Sul, na serra gaúcha. Mãe e filho morreram após uma colisão entre dois carros na madrugada de domingo (20) no bairro Bela Vista.

"A família está muito abalada. Neste momento, a gente nem sabe o que falar. Uma criancinha de 2 anos... O pai dele era muito apegado a ele, onde ele ia, ele levava o guri junto", lembra Jeverson Ceconi, primo de Julio Ceconi, de 36 anos, que dirigia o carro da família e está internado no hospital.

Familiares e amigos estiveram no velório, na Capela São José do bairro Cruzeiro, para se despedir.

Em velório, familiares se despedem de Fernanda Xavier Sosso, de 33 anos, e Otávio Xavier Ceconi, de 2 anos — Foto: Jeferson Ageitos/RBS TV

Em velório, familiares se despedem de Fernanda Xavier Sosso, de 33 anos, e Otávio Xavier Ceconi, de 2 anos — Foto: Jeferson Ageitos/RBS TV

No veículo, além do filho e da esposa, estava também o enteado de Julio, de 14 anos. Ele estava no banco da frente. Ferido, chegou a ser hospitalizado, mas, conforme familiares, recebeu alta nesta segunda.

"Quando deu o acidente, ele [Julio] saiu consciente, ele só pedia para salvar o filho. Ele só pedia: 'salva minha família'", diz Jeverson, emocionado.

"Com o impacto, a cirurgia que fizeram com ele, ele está em coma no hospital, e ele não sabe que a mulher e o filho dele vieram a falecer", conta.

 Fernanda Xavier Sosso, de 33 anos, estava no banco de trás do carro com o filho mais novo — Foto: Reprodução/RBS TV

Fernanda Xavier Sosso, de 33 anos, estava no banco de trás do carro com o filho mais novo — Foto: Reprodução/RBS TV

O acidente aconteceu por volta da 1h40. O Gol, que levava os quatro, foi atingido por um Ford Ka.

O delegado Caio Fernandes, que investiga o caso, diz que a embriaguez do adolescente foi comprovada por exame clínico.

"Nós sabemos que há um ateste por conta do perito médico legista de que ele havia, sim, feito uso de bebida alcoólica, face aos sinais, fruto do exame clínico, em que pese ele não tenha fornecido material e tampouco soprado o bafômetro", afirma o delegado.

O adolescente foi apreendido por não ter autorização para dirigir e por ter assumido o risco de matar. Ele está internado no Centro de Atendimento Sócio Educativo de Caxias do Sul.

O jovem diz que pegou o carro sem o conhecimento dos pais e alega que passou no cruzamento quando o sinal estava amarelo.

"Tudo indica que ele teria, de acordo com o relato do jovem, pego o veículo sem autorização dos pais e levado a namorada dele até em casa. Ao retornar desse caminho, ele teria, de acordo com a versão dele apresentada, cruzado o local com a sinaleira na cor amarela", relata Fernandes.

A polícia ainda busca imagens complementares de câmeras de segurança para esclarecer os fatos.

"Vamos possivelmente imputar a direção de veículo sem habilitação, homicídio na modalidade dolosa, fruto do dolo eventual [quando mesmo sem intenção, se assume o risco de matar], e também as lesões corporais", acrescenta o delegado.

"A gente sabe que isso aí não vai dar em nada, porque ele é de menor, a Justiça cobre isso aí, 17 anos. A gente sabe que o outro lado vai passar impune. Ele tirou duas vidas, né? A gente espera justiça, que a justiça seja feita, só isso", desabafa Jeverson.

Acidente aconteceu na madrugada deste domingo (20) — Foto: Arquivo pessoal

Acidente aconteceu na madrugada deste domingo (20) — Foto: Arquivo pessoal

deixe seu comentário