Educação e Cultura

Escolas de Camaquã aderem à paralisação

Saiba quais as escolas irão aderir à paralisação e quais seguirão com as aulas normalizadas
15/05/2019 - 10h:25min - Fonte:

Esta quarta-feira (15) será marcada pelos atos de manifestação dos estudantes do Brasil inteiro. A manifestação é motivada pelo anúncio feito pelo Ministro da Educação, Abraham Weintraub, de um contingenciamento nas verbas para Institutos e Universidades Federais.

Alunos do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense organizam, juntamente com alunos de outras escolas de Camaquã, uma marcha silenciosa que acontece a partir das 10:45. Confira o itinerário:

Whats-App-Image-2019-05-14-at-14-55-18

O segundo ato será realizado através de uma exposição de trabalhos realizados pelo Campus do IFSul de Camaquã que acontecerá na Praça Zeca Netto, das 14h até as 18h. Durante este ato, alunos estarão recebendo todos os interessados em entender como os possíveis cortes poderão atingir diretamente os alunos camaquenses.

Leia mais: Alunos do IFSul - Campus Camaquã - realizam protesto

Algumas das escolas do ensino público de Camaquã também irão aderir ao ato de paralisação. Saiba quais as escolas possuem paralisação total ou parcial neste dia:

Escola Carvalho Bastos No período da manhã, a paralisação é total e durante à tarde, será parcial.

Escola Manoel Da Silva Pacheco Durante a manhã, apenas um professor não aderiu à paralisação. Durante a tarde, dois professores irão lecionar.

Escola José Adão de Assis Barbosa (CIEP) Paralisação parcial em ambos os turnos.

Escola Estadual Edison Nunes De CamposParalisação parcial em ambos os turnos. 

Instituto Cônego Luiz Walter Hanquet (Estadual) Apenas quatro professores aderiram e o cronograma das aulas será mantido.

As escolas Ana César, São Bernardino de Sena e Francisco Luiz não aderiram à paralisação e seguem com o cronograma normalizado.

deixe seu comentário