Saúde e Bem Estar

Enfermeiras do HNSA falam sobre a chegada das vítimas de acidente com ônibus uruguaio

“As pessoas não tem noção do que é trabalhar num hospital” Confira o relato emocionante de duas enfermeiras que descreveram o pânico na chegada das 25 vítimas ao hospital, e o atendimento ao menino de 11 anos que ficou internado
18/04/2019 - 18h:03min - Fonte:

A madrugada do último domingo (14) foi de tensão para a equipe de plantão no Hospital Nossa Senhora Aparecida de Camaquã. Um acidente no km 441 da BR-116, em Cristal, deixou duas pessoas mortas e mais de 40 feridas. Segundo a PRF, 46 pessoas estavam no ônibus de turismo Uruguaio que tinha destino a Florianópolis quando saiu da pista e tombou. 25 vítimas foram encaminhadas ao Hospital de Camaquã.

Segundo a enfermeira Lidiane Braatz, a chegada das vítimas foi um susto. “Esperávamos três vítimas, de repente chegaram várias ambulâncias, no total, foram 25”. Haviam diversas fraturas e ferimentos e as pessoas estavam bem assustadas. “Foi um desespero porque não conseguíamos nos comunicar. Não nos entendíamos”.

Rapidamente criou-se uma mobilização em todos os setores do hospital para prestar auxílio às vítimas e realizar contato com os familiares e o Consulado do Uruguai.

A vítima mais grave, foi um menino de 11 anos chamado Maximiliano. Estava acompanhado do pai, madrasta e um irmão, que também estavam machucados. Max, como ficou conhecido no hospital, foi imediatamente encaminhado ao bloco cirúrgico, pois sofreu uma fratura exposta no antebraço esquerdo. Segundo as enfermeiras, ele chorava muito e não entendia o que estava acontecendo. “Eu usei mimicas. Pedi pra ele ficar calmo, expliquei que íamos cuidar dele e falei que ele era muito bonito. Então ele riu”.

Após o procedimento e os exames pós cirúrgicos, Max foi liberado na manhã seguinte para voltar ao seu país de origem, onde segue internado em um hospital de Montevidéu para realizar outro procedimento. Tiarla, uma das enfermeiras que trabalhou no atendimento dele, conta emocionada que mantém contato com a madrasta e recebe notícias do menino todos os dias “Ele está bem, está se recuperando e eles se mostram muito gratos a toda nossa equipe. Fizemos o nosso dever, estamos aqui pra ajudar” afirma ela.

Confira os relatos em vídeo:

 

deixe seu comentário