Mundo

Presidente Bolsonaro discursa na Assembleia Geral da ONU nesta terça-feira

Chefe do Executivo deve defender tese do marco temporal das terras indígenas em seu discurso de abertura do evento
Publicado: 21/09/2021 às 06:42 | Alterado: 27/09/2021 às 02:33 | Fonte: GZH
Presidente da República Jair Bolsonaro, acompanhado da Sra. Michelle Bolsonaro Foto: Alan Santos/PR
Presidente da República Jair Bolsonaro, acompanhado da Sra. Michelle Bolsonaro Foto: Alan Santos/PR

O presidente Jair Bolsonaro participa na manhã desta terça-feira (21) na 76ª Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), nos Estados Unidos. Por tradição, o presidente brasileiro é o primeiro entre todos os chefes de Estado e de governo a discursar no plenário.    

A abertura do plenário ocorre às 10h (horário de Brasília). Na edição deste ano, o encontro está sendo em formato híbrido, com parte dos discursos gravados e outra parte presencial. Bolsonaro optou por viajar a Nova York para discursar presencialmente. Em 2020, por causa da pandemia, a Assembleia Geral foi totalmente virtual.  

Na semana passada, durante sua live semanal nas redes sociais, Bolsonaro comentou sobre o discurso que pretende fazer na Assembleia Geral deste ano. 

"Vou fazer o discurso de abertura. Um discurso tranquilo, bastante objetivo, focando os pontos que interessam para nós. É um palanque muito bom para isso também, serve como palanque, aquilo lá. Vamos mostrar objetivamente o que é o Brasil, o que estamos fazendo na questão da pandemia —  coisa que somos atacados o tempo todo não é? — bem como o agronegócio, a energia no Brasil", disse o presidente durante a transmissão. 

Ele também comentou que defenderá a validade da tese do marco temporal, atualmente em julgamento no Supremo Tribunal Federal (STF), e que limita o reconhecimento de terras indígenas.  

Sem vacina

Bolsonaro não está vacinado, o que o impede de ingressar em ambientes internos, como restaurantes, bares, cafés e lojas de Nova York. Reiteradamente, o chefe do Executivo diz que irá se vacinar depois de todos os brasileiros. Nos Estados Unidos, o presidente tem tirado foto na área externa de estabelecimentos. 

deixe seu comentário