Mundo

Pelo menos 13 pessoas morrem após erupção de vulcão na Indonésia; 7 estão desaparecidas

Prédio de uma fábrica coberto por cinzas da erupção do Monte Semeru, no distrito de Lumajang, província de Java Oriental na Indonésia, neste domingo (5).
Por: Redação/Clic Camaquã | Publicado: 05/12/2021 às 15:17 | Alterado: 11/12/2021 às 06:23 | Fonte: As informações são do Jornal O Sul
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Pelo menos 13 pessoas morreram depois da erupção do vulcão Semeru, na Indonésia, neste sábado (4), anunciaram as autoridades do país neste domingo (5). Sete pessoas ainda estão desaparecidas e 57 estão hospitalizadas, com 16 em estado grave.

Imagens divulgadas em redes sociais mostraram moradores fugindo de uma nuvem gigantesca de cinzas, logo após a erupção do vulcão. A erupção foi causada por uma uma tempestade e dias de chuva – que derrubaram a cúpula de lava no topo do Semeru, afirmou Eko Budi Lelono, que chefia o centro de pesquisa geológica do país, à agência Associated Press. O Semeru tem 3.676 metros de altura e é o mais alto da Indonésia.

Segundo a AP, o Monte Semeru expeliu grossas colunas de cinzas a mais de 12 mil metros de altura. Gás e lava desceram pelas encostas do monte. Várias aldeias ficaram cobertas de cinzas.

De acordo com o chefe da agência geológica, os fluxos de gás escaldante e lava desceram por até 800 metros até um rio próximo. As pessoas foram aconselhadas a ficar a 5 quilômetros da entrada da cratera do vulcão; mais de 900 tiveram que ser transferidas para abrigos temporários. Um blecaute dificultou a saída.

Os destroços e lava misturados com a chuva formaram uma lama espessa que destruiu a ponte principal que conecta Lumajang, onde ocorreu a erupção, e o distrito vizinho, de Malang, além de uma ponte menor.

Alguns moradores que fugiram para um abrigo do governo perto da sede do distrito de Lumajang disseram que as autoridades não deram nenhuma informação sobre as atividades do vulcão.

“De repente, tudo escureceu, a tarde clara se transformou em noite. Um som estrondoso e calor nos forçaram a correr para a mesquita ”, disse Fatmah, uma moradora que fugiu para um abrigo a cerca de 5 quilômetros da cratera.

“Foi uma erupção muito mais forte do que em janeiro”, disse referindo-se à última vez em que o Semeru também entrou em erupção, sem deixar vítimas.

A porta-voz do Ministério dos Transportes, Adita Irawati, disse que seu escritório emitiu um aviso no sábado para que companhias aéreas evitassem rotas perto do vulcão. Ela disse que as operações de voo ainda estão ocorrendo conforme programado e que as autoridades continuarão monitorando a situação.

A Indonésia é um arquipélago com mais de 270 milhões de habitantes propenso a terremotos e atividades vulcânicas, pois fica ao longo do “Anel de Fogo” do Pacífico.

deixe seu comentário