Mundo

Confronto entre Israel e grupos do Hamas deixa mais de 20 mortos

De acordo com autoridades de saúde de Gaza, pelo menos 120 pessoas ficaram feridas, 22 pessoas morreram, destes, 9 eram crianças palestinas
Por: Sabrina Borges | Publicado: 11/05/2021 às 09:00 | Alterado: 18/05/2021 às 17:35 | Fonte: Agência Brasil e G1
Confronto entre Israel e grupos do Hamas deixa mais de 20 mortos /Foto: Khalil Hamra/AP
Confronto entre Israel e grupos do Hamas deixa mais de 20 mortos /Foto: Khalil Hamra/AP

Depois de confrontos entre manifestantes palestinos e policiais israelenses em Jerusalém deixarem centenas de feridos nos últimos dias, o Hamas disparou foguetes contra Israel nesta segunda-feira (10). De acordo com autoridades de saúde de Gaza, pelo menos 120 pessoas ficaram feridas, 22 pessoas morreram, destes, 9 eram crianças palestinas. 

O ataque teria ocorrido após o grupo que controla Gaza ter dado um ultimato a Israel para que retirasse as forças policiais da região da mesquita de Al Aqsa até às 18h, além disso disseram que o ataque era uma” resposta à agressão do inimigo na cidade sagrada".

Alguns minutos após terminar o prazo dado pelo grupo, as sirenes de alerta começaram a soar em Jerusalém e perto da fronteira de Gaza. De acordo com a imprensa local, Israel revidou com ataques aéreos em Gaza e a ação resultou nas mortes.

RS terá rede ecológica para preservação do Pampa e da Mata Atlântica
Autor de chacina em SC tem melhora e pode receber alta ainda hoje

Ainda de acordo com a imprensa local, militares israelenses afirmaram que realizaram ataques contra grupos armados, lançadores de foguetes e postos militares em Gaza depois que militantes cruzaram o que o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, chamou de "linha vermelha", atirando na área de Jerusalém pela primeira vez desde uma guerra em 2014.

O ataque aéreo israelense seguiu até tarde da noite na cidade de Gaza e na faixa costeira. Pouco antes da meia-noite no horário local, os militares israelenses disseram que militantes palestinos tinham disparado cerca de 150 foguetes contra Israel, dos quais dezenas foram interceptados por seus sistemas de defesa antimísseis.

De acordo com um porta-voz do Alto Comissariado da Organização das Nações Unidas (ONU), a organização está profundamente preocupada. Rupert Colville falou sobre o assunto durante uma entrevista coletiva em Genebra (Suíça).

"Condenamos toda a violência e toda a incitação à violência, assim como as divisões étnicas e as provocações", declarou. Sobre os confrontos na Esplanada das Mesquitas, o porta-voz considerou que as forças de segurança israelenses "claramente não respeitaram nos últimos dias" a sua obrigação de responder de forma proporcionada e de garantir o direito de reunião pacífica.

Além disso, ele acrescentou que os disparos de foguetes a partir da Faixa de Gaza contra Israel "estão estritamente proibidos pelas leis humanitárias internacionais e devem parar imediatamente". 

 

deixe seu comentário