Economia

Paulo Guedes pode ser substituído por Pedro Guimarães, diz colunista

Colunista Elio Gaspari, do jornal Folha de S.Paulo, prevê a queda do ministro da Economia, Paulo Guedes, no Governo de Jair Bolsonaro; entenda o caso
Por: Eduardo Costa | Publicado: 13/10/2021 às 11:20 | Alterado: 20/10/2021 às 20:10

O Colunista Elio Gaspari, do jornal Folha de S.Paulo prevê através de artigo publicado esta semana a queda do ministro da Economia, Paulo Guedes, no Governo de Jair Bolsonaro. Ele afirma que agentes do mercado ainda "procuram preservar o czar da economia transformado em pinguim de geladeira". De acordo com o colunista, eles fazem isso porque temem que para seu lugar entre Pedro Guimarães, atual presidente da Caixa Econômica Federal.

Leia também: Tem 7ª parcela do Auxílio Emergencial? Saiba quando sai o pagamento e se você tem direto

O colunista destacou que o ministro "prometeu privatizações, entregou inflação, prometeu reformas, ofereceu as pedaladas dos precatórios". "Fracassou", continua.

Guedes se defende sobre offshore

O burburinho sobre essa mudança no atual governo ocorre desde que as notícias sobre os recursos financeiros em paraísos fiscais do ministro da Economia, Paulo Guedes, vieram à tona. A base aliada ao governo Bolsonaro na Câmara enxergou neste episódio a chance de colocar um dos seus no comando da economia brasileira. Além de Pedro Guimarães, o nome do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, figura como uma das possibilidades.

A pressão em cima de Bolsonaro deve ocorrer nas próximas semanas, quando o ministro da Economia deverá aparecer ao Parlamento para dar explicações sobre sua milionária offshore. Paulo Guedes afirma em entrevistas que não há ilegalidade em seu dinheiro aplicado no exterior, e que o montante é declarado na Receita Federal.

Leia também: Auxílio emergencial: liberado saque da 6ª parcela nesta quarta (13/10/2021); veja quem recebe agora

Paulo Guedes diz que inflação vai subir no Brasil

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta terça-feira (12/10/2021), durante entrevista à TV Bloomberg, nos Estados Unidos, que a inflação no Brasil vai subir. Entretanto, afirmou que haverá crescimento neste ano e em 2022. Um ano antes das eleições presidenciais, o chefe da equipe econômica também afirmou que teme o impacto do risco político nos mercados financeiros.

Guedes declarou que o Brasil tem um democracia “vibrante”, mas que há muito “barulho político”. Ele disse que há no País uma “turma” que perdeu as eleições de 2018, mas “não aceita o resultado”, em uma sugestão de que opositores tentam sabotar o governo.

Durante a entrevista, o ministro criticou as projeções para a economia brasileira, disse que as estimativas se provarão erradas e previu que o Produto Interno Bruto (PIB) do país crescerá 5,5% este ano. “Crescimento não será problema. O problema é a inflação”, declarou.

Guedes está nos EUA para participar de reuniões do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do grupo das 20 maiores economias do mundo (G20), do qual o Brasil faz parte. Mais cedo, o ministro também concedeu uma entrevista à CNN Internacional e falou sobre inflação, crescimento, pandemia e vacinação, empresas de offshore e o plano de crescimento verde para o País, que será apresentado na COP26, na Escócia, no mês que vem.

Leia também: Mega-Sena Concurso 2418: Sorteio de hoje pode pagar R$ 6,5 milhões; veja como apostar

deixe seu comentário