Colunistas
José Ari F. Júnior - Tatakae!
Por José Ari F. Júnior - Tatakae!
Nerd e estudante de engenharia elétrica.

DUNA

Publicado: 05/11/2021 às 16:43
Duna estreou nos cinemas faz algumas semanas e tive o prazer de assistir a essa adaptação de Denis Villeneuve, que conta com um grande elenco: Timothée Chalamet como o grande astro no papel do Paul Atreides, Zendaya como Chani,  Oscar Isaac como Leto Atreides, Jason Mamoa no papel de Duncan, Rebecca Ferguson interpretando lady Jessica, além de outros grandes nomes. A Obra conta com mais de 22 milhões de cópias vendidas ao redor do mundo desde sua publicação original em 1965, o livro Duna é visto como uma das obras mais importantes da ficção científica. Criada por Frank Herbert, a história de Paul Atreides e sua família no planeta Arrakis serve de inspiração para diversas obras posteriores, como por exemplo Star Wars.

Para tentar simplificar um pouco, a melhor definição seria: Um “Game of Thrones” sci-fi, que faz uso da política, filosofia e religião como parte crucial do enredo. Existem monarquias(casas) definidas por linhagem de sangue, nos mais diversos planetas, e as grandes casas estão submetidas a um imperador, mesma lógica feudal. A disputa política gira em torno de influência, tendo como foco o poder bélico que é encontrado em uma especiaria contida nas areias do planeta Arrakis. Podemos relacionar com o petróleo, essa especiaria só é produzida graças ao clima desértico e pelos colossais vermes da areia.  No planeta, os nativos brigam com o império, uma vez que o mesmo absorve essa especiaria sem deixar qualquer contrapartida no planeta.

Um prólogo grandioso, que ostenta uma qualidade técnica impecável e abre as portas para um dos mundos mais fascinantes e complexos da ficção. É uma experiência imersiva que dura 2h30m e deixam o espectador curioso e com um gostinho de quero mais. Não só colonialismo, relações de poder, ambientalismo e religião; Duna é, acima de tudo, a jornada de um jovem tentando encontrar o seu caminho, mostrando toda a incerteza que o rodeia até o seu amadurecimento que culminou por desaguar no deserto. 

Aliás, o que a produção fez com o deserto parece coisa de outro mundo. Sempre destacando a imensidão da paisagem, ora melancólica, ora ameaçadora, mas sempre contemplativa. Em suma, é um épico cinematográfico que dá um show de estética, atmosfera, trilha sonora, atuações, efeitos especiais e roteiro. Se você gosta de Star Wars ou Game of Thrones, você precisa conhecer Duna. Diga-se de passagem, a obra literária é muito satisfatória, vale a pena a leitura.


A Warner Bros e a Legendary confirmaram que uma sequência de Duna está sendo desenvolvida. Duna 2 estreia em 2023 e Denis Villeneuve voltará para dirigir a sequência do filme. A minha volta aos cinemas não poderia ter sido mais satisfatória.