Colunistas

Legislativo Camaquense registra 156 anos de história

22/01/2021 - 10h:52min
Catullo Fernandes - Arte, Cultura e História

Neste mês de janeiro, mais precisamente no dia 07, o poder Legislativo Camaquense registrou 156 anos de atuação. Através da Lei nº 569, de 19 de abril de 1864, assinada pelo vice-presidente da Província de São Pedro (Rio Grande do Sul) Patrício Corrêa da Câmara, o município de Camaquã conquistava sua emancipação política. E a instalação da Câmara Municipal aconteceu oito meses depois, como se verifica nesta nota oficial transcrita pelo falecido historiador Luiz Alberto Cibils (1919-2018).

“Aos sete dias do mês de janeiro de mil oitocentos e sessenta e cinco, quadragésimo quarto da Independência e do Império, dia designado por Editais para a instalação da Câmara Municipal de Camaquã, como determina o artigo 2º do Decreto de 13 de novembro de 1832, presente na mesma Vila e Casa destinada para a sessão da nova Câmara, o capitão Francisco Batista da Silva Pereira, Presidente da Municipalidade de Pôrto Alegre, capital da Província de São Pedro do Sul, compareceram os cidadãos Isaías Rodrigues Mendes, César Augusto Moreira Pantaleão, Joaquim da Silva Brandão, Maurício de Sousa da Silva, João Ventura Centeno, Patrício Vieira Rodrigues Filho e João Batista de Oliveira Brandão, Vereadores eleitos para a dita nova Câmara no quatriênio de 1865 a 1868.”

O primeiro presidente da Câmara foi Bento Gonçalves da Silva Filho - o Bentinho, filho do Gal. Bento Gonçalves, que envolvido com a Guerra do Paraguai a rigor não exerceu o cargo cabendo o comando do Legislativo ao Capitão Isaías Rodrigues Mendes. Na época, presume-se, que os vereadores se reuniam em locais itinerantes e depois de formalizar as demandas elas eram enviadas à Porto Alegre. Mais tarde a sede do município passou a ser em Nossa Senhora das Dores de Camaquã (hoje Sentinela do Sul), onde estava instalada a Intendência Municipal. Somente em 1912, com a construção da Intendência em Camaquã, os trabalhos legislativos seriam realizados em espaço público. Casualmente a antiga Intendência é hoje a sede da Câmara Municipal.

O atual prédio onde funciona o Poder Legislativo também é centenário. Cabe ressaltar que no próximo ano - 2022 - será marcado pelos 110 anos de sua construção. Construído em 1912 o prédio por muitos anos foi a sede do Executivo Camaquense, primeiro a Intendência Municipal no começo do século XX, e mais tarde, com o advento da criação dos cargos de prefeito a partir de 1930, a Prefeitura de Camaquã.

Há cinco anos, em 2015, o Legislativo Camaquense registrou seu Sesquicentenário. No entanto, apesar de uma data tão expressiva, não aconteceu nenhum evento comemorativo, e sequer houve algum tipo de manifestação por parte dos vereadores neste sentido.

Como em tantas outras datas magnas, o poder público tem falhado na preservação da memória histórica do Município. Caso semelhante ocorreu recentemente, em 2019, quando passou em branco o advento dos 180 anos da travessia do barco Seival, o maior acontecimento da Revolução Farroupilha em terras camaquenses, e uma das maiores epopeias náuticas do mundo.

Clic Humor com Sabedoria: “Resgatar a memória cultural de uma região é a maneira mais respeitosa de reverenciar a história de seu povo.” (Yhulds Bueno)

 

 

deixe seu comentário