Colunistas

Os anos dourados da cultura camaquense e a força feminina

30/07/2020 - 16h:53min
Catullo Fernandes - Arte, Cultura e História

11-clic-sol-de-souza

No ano de 2005, portanto há 15 anos, Camaquã foi contemplada com grandes projetos culturais onde três deles merecem destaque por terem sido executados durante três anos consecutivos transcorrendo até 2007. Quem não lembra do Acorde da Canção Nativa, do circuito de artes cênicas Camaquã em Festa, e das mega Feiras do Livro, na Praça Zeca Netto?

O festival, idealizado pelo artista Adão Quevedo, realizado no Clube Alvorada reuniu os maiores expoentes da música nativista, com grandes shows e disputas musicais, que davam muito trabalho aos jurados. Todos os eventos estão gravados em CD e DVD, e acima de tudo no coração dos camaquenses. Paralelamente ainda acontecia o Acorde Piá, com o propósito de revelar o talento das crianças e jovens, mantendo viva a chama da cultura gaúcha.

Já as temporadas do projeto Camaquã in Fest lotavam o Cine Teatro Coliseu, com grandes peças teatrais e shows musicais, além de oferecer oficinas gratuitas de teatro. Espetáculos que estavam em cartaz no Theatro São Pedro e nos shoppings da capital eram assistidos por valores simbólicos, evitando deslocamentos para Porto Alegre e economia para o público. Os maiores nomes das artes cênicas gaúchas desfilaram no palco do Coliseu. Importante ressaltar que estes eventos influenciavam na vida noturna da cidade possibilitando que bares e restaurantes recebessem uma ótima clientela ao final dos espetáculos.

E as Feiras Municipais do Livro, então, era uma verdadeira odisseia cultural onde durante quatro dias a Praça Zeca Netto se transformava no palco da leitura com a presença de milhares de visitantes. Uma estrutura capaz de receber até 800 pessoas por atividade, com atrações artísticas de primeira ordem e grandes figuras da literatura gaúcha - escritores, contadores de histórias e palestrantes - faziam da feira um evento diferenciado.

Não bastasse tamanha sinergia nestas feiras inesquecíveis, sempre apoiadas e prestigiadas pelo então secretário de Estado da Cultura, Victor Hugo, foi lançado o maior projeto editorial da região. Com o selo da ProCult e o aval da LICRS foram editados 10 livros, e mais tarde ainda outras três publicações na Feira do Livro de Tapes (2009). Detalhe: as obras com tiragem de 500 exemplares, foram editados sem nenhum custo para os autores, que ainda ficavam com 80% dos livros.

A frente deste exército cultural a ex-secretária da Cultura e Turismo, Solange de Souza, que com muita dedicação e simpatia comandava uma equipe altamente qualificada. Estes importantes eventos geravam renda para o munícipio, e possibilitavam a contratação de profissionais de diversas áreas, em particular artistas, escritores, técnicos de sonorização e iluminação, cinegrafistas e fotógrafos passando por vendedores ambulantes e empresas de segurança.

Serei sempre grato à educadora Sol de Souza, que além de me confiar a Assessoria de Imprensa das feiras, me designou coordenador cultural das 13 publicações dos livros através da Criarte. Com certeza, no âmbito do setor público, ela foi a maior incentivadora dos escritores camaquenses em todos os tempos. Eu diria sem medo de errar que aquele período foram os anos dourados da cultura camaquense.

Clic Humor com Sabedoria:Liderança não é sobre títulos, cargos ou hierarquias. Trata-se de uma vida que influencia outra.(John C. Maxwell)

 

FEIRA MUNICIPAL DO LIVRO DE 2005

“A bruxa gorducha e a vassoura magricela” - Catullo Fernandes (CAIXA RS)

“Histórias infantis só para maiores” - Hugo Renato Barbosa

 

FEIRA MUNICIPAL DO LIVRO DE 2006

“O poema é uma criança desobediente” - Álvaro Santestevan

 “Rosa de sal” - Inez Ramos Crespo

 “Cordas, versos e vida” - Joãozinho Índio

“Camaquã alvorecer tempo e espaço” - Divino Alziro Beckel (in memoriam)

 “Revolução Farroupilha em Camaquã” - João Máximo Lopes

 

FEIRA MUNICIPAL DO LIVRO DE 2007

“Eclipses e Elipses” - Alceu Amaral, Anderson Borba, Leandro Martins e Carlos Eduardo Sousa;  

“Recordações Gaúchas - Bento Martins Azambuja(in memoriam)

“São João Baptista de Camaquam” - João da Silva Azevedo (in memoriam)

 

FEIRA MUNICIPAL DO LIVRO DE TAPES 2009

“A poesia das sete mulheres” - (coletânea feminina)

“O rio Camaquã e a canoa” - Vera Regina Sant’Anna Py

“Ser Criança” - Rosângela Stein Pires

 

deixe seu comentário